A Paraíba o tempo todo  |

Agevisa reforça Campanha Nacional de Combate ao Tabagismo na Paraíba

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

Dentro das ações da Campanha Nacional de Combate ao tabagismo, a Agência Estadual de Vigilância Sanitária (Agevisa/PB) reforça a campanha na Paraíba lembrando à população que o hábito de fumar provoca aproximadamente 50 doenças diferentes, principalmente problemas cardiovasculares (como infarto e angina), câncer e doenças respiratórias obstrutivas crônicas, entre elas enfisema pulmonar e bronquite.

Segundo Glaciane Mendes, diretora-geral da Agevisa/PB, os problemas cardiovasculares e o câncer são as principais causas de morte por doença no Brasil, sendo o câncer de pulmão responsável pela maior causa de morte por câncer.

Os males à saúde humana causados pelos produtos derivados do fumo foram destaques na edição da quinta-feira (25) do programa “Momento Agevisa”, que vai ao ar dentro da programação do Jornal Estadual da Rádio Tabajara (AM 1.110 e FM 105.5), entre 6h e 7h. No informativo, a diretora técnica de Ciência, Tecnologia Médica e Correlatos da Agevisa/PB, Helena Lima, informou que o tabagismo é responsável por 63% dos óbitos relacionados às doenças crônicas não transmissíveis; 85% das mortes por doença pulmonar crônica; 30% das mortes por diversos tipos de câncer (pulmão, boca, laringe, faringe, esôfago e outros); 25% de óbitos por doença coronariana, e 25% das mortes por doenças cerebrovasculares.

Os dados, segundo ela, são do Instituto Nacional do Câncer (Inca) e da Organização Mundial da Saúde (OMS), que apontam o tabagismo como principal causa de morte evitável no mundo.

Esporte sem cigarro – Helena Lima informou também que nesta segunda-feira (29), Dia Nacional de Combate ao Fumo, será intensificada em todo o País a Campanha Nacional destinada a convencer a população dos perigos e dos males causados pelo cigarro e outros produtos derivados do fumo.

“O objetivo da campanha é prevenir a iniciação do hábito de fumar, considerando que o esporte pode manter os jovens longe do cigarro pela preocupação em preservar a boa saúde e, por consequência, a boa forma física. Também se pretende divulgar a prática de atividades físicas como importante aliada no processo da cessação do tabagismo, ou seja, da tentativa de deixar de fumar. Além disso, será ampliada a divulgação da chamada Lei Antifumo, que proíbe fumar em ambientes fechados públicos e privados”, acrescentou a diretora-técnica.

Lei Antifumo – Aprovada pelo Congresso Nacional em 2011, mas só regulamentada em 2014, a Lei nº 12.546 proíbe o ato de fumar cigarrilhas, charutos, cachimbos e outros produtos derivados do fumo em locais de uso coletivo, públicos ou privados, como hallse corredores de condomínios, restaurantes e clubes.

Para fazer valer a Lei Antifumo na Paraíba, a diretora técnica Helena Lima, da Agevisa/PB, ressalta a importância do engajamento das Vigilâncias Sanitárias municipais, que devem incluir nas suas rotinas de inspeção a fiscalização sobre se os estabelecimentos inspecionados estão respeitando e divulgando a proibição do ato de fumar em seus ambientes.

Com isso, segundo ela, as Visas municipais vão reforçar o papel dos órgãos de saúde de propagar a promoção da saúde com as ações nacionais e estaduais de sensibilização e mobilização da população brasileira para os problemas causados pelo hábito de fumar e pelas doenças provocadas pelo fumo.

 

Secom

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe