Por pbagora.com.br

Retorno aos trabalhos está condicionado a desempenho em curso para revisar procedimentos padrão das funções exercidas

A direção da Maternidade Dr. Peregrino Filho, de Patos, já concluiu a sindicância interna que apurou a troca de corpos de bebês que foram a óbito no último domingo (02) após nascerem prematuros e permanecerem na UTI por alguns dias. O processo administrativo imputou ‘falta grave’ no histórico das servidoras e condicionou o retorno das atividades da técnica de enfermagem e da assistente social envolvidas no episódio somente após conclusão de um curso que vai revisar os procedimentos que dizem respeito ao desempenho destas funções.

A direção da Maternidade de Patos, que integra a rede estadual de saúde, reitera que lamenta profundamente o ocorrido, já pediu desculpas publicamente aos familiares dos bebês que tiverem a identidade trocada e destaca que já reforçou seus protocolos de atendimento, procedimento e segurança, para que fatos desta natureza não se repitam na unidade, que é referência em atendimento à mulher no sertão paraibano.



Redação

Notícias relacionadas

Vacinação contra Covid-19 é suspensa em CG e só deve ser retomada na 5ª

A vacinação contra a Covid-19, está suspensa em Campina Grande, e só deve ser retomada na próxima quinta-feira (15), quando o Estado receber e enviar novas remessas do imunizante para…

Reitoria do IFPB registra apoio dos senadores Veneziano e Nilda Gondim a obras

Os senadores Veneziano Vital do Rêgo (MDB-PB) e Nilda Gondim (MDB-PB) destinaram R$ 2 milhões em emendas para o Instituto Federal da Paraíba (IFPB) no orçamento de 2021. O montante…