Com as chuvas que caem no Cariri paraibano e inundam os rios Paraíba e Taperoá, o açude Epitácio Pessoa em Boqueirão, continua recebendo significativo aporte de água e se aproxima de atingir a sua capacidade máxima e transbordar. A lâmina do manancial que abastece Campina Grande e mais 19 cidades do Compartimento da Borborema, aumentou mais 7 centímetros, e Boqueirão já ultrapassou os 58% de sua capacidade de armazenamento.

Segundo dados divulgados pelo Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs-PB),nas últimas horas foi registrado um aporte de 2.186.503 m³ de água, o que levou o reservatório a atingir 58,94% da capacidade total.

Os dados do Dnocs mostram que no período de 1 a 25 de Março, o açude teve um aumento de 7,96 metros na lâmina, um aporte hídrico de 174.533.810 m³.

De acordo com especialista em recursos hídricos Isnaldo Cândido, faltam menos de cinco metros de aumento na lâmina d’água para que o reservatório transborde. O reservatório recebeu recargas de água após fortes chuvas que atingiram mananciais localizados no Cariri paraibano, que abastecem o Epitácio Pessoa.

Desde 2013 o açude não atingia metade da capacidade total. Em 2017, o açude de Boqueirão chegou a atingir 2% da capacidade total. Atualmente o reservatório abastece Campina Grande e outros 19 municípios.

A lâmina de água de Boqueirão tem subido significativamente segundo dados da Agência Executiva de Gestão das Águas (AESA). No começo da semana passada, o açude estava com 145 milhões 758 mil de metros cúbicos, o que corresponde a 31,2% de sua cota máxima que é 411,686 milhões de metros cúbicos de água.
Em menos de 12 horas, o açude recebeu um aporte hídrico de 22.472.493 m³, aumentando seu volume para 168.231.220 m³, o que representa 36,1% da capacidade total e atingiu os 53,% de sua cota máxima dias depois. Nesta quarta-feira, o manancial ultrapassou os 58%.

Construído há 63 anos pelo Departamento Nacional de Obras Contra Seca (Dnocs), o Epitácio Pessoa tem recebido uma das maiores recargas de sua história nos primeiros dois meses do ano. Com isso, aumenta o sonho da população de ver Boqueirão sangrar de novo.
Com capacidade para armazenar 411,686 milhões de metros cúbicos de água, o manancial foi inaugurado em 16 de janeiro de 1957 e logo se transformou na principal fonte de abastecimento de Campina Grande.

Desde a inauguração, em 1957, Boqueirão sangrou 18 vezes, nos anos de 1967, 1968, 1973, 1974, 1975, 1976, 1978, 198, 1984, 1985, 1986 1989. Depois ele passou 15 anos sem sangrar.

Severino Lopes
PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Inmet emite alerta de fortes chuvas para JP, CG e mais 112 cidades

Por meio de release o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) publicou aviso de perigo ocasionado por acumulado de chuva para 114 municípios paraibanos, incluindo João Pessoa e Campina Grande, hoje…

Covid-19: em dez dias, JP registra mais de mil casos da doença

Os registros diários de pessoas contaminadas pelo novo coronavírus (Covid-19) ainda continua subindo na Capital paraibana após quase 60 dias de isolamento social. Em dez dias, segundo dados do Governo…