“A reforma da Previdência não foi uma opção de João Azevêdo” desta forma o procurador geral do Estado, Fábio Andrade, resumiu o cenário que ronda a votação da medida na Assembleia Legislativa da Paraíba e que vem trazendo divergências dentro e fora da Casa.

De acordo com Fábio, em entrevista a uma emissora de TV paraibana, o tema é polêmico porque mexe com o presente e além disso com o futuro dos servidores públicos.

“Reforma da previdência sempre gera muito debate e polêmica até porque são temas que mexem com o cotidiano dos servidores públicos sobretudo a da previdência que além de mexer com o presente, mexe com o futuro” disse.

Quanto à escolha, ou não por parte de João, de realizar as mudanças o procurado ressaltou que o governador foi obrigado a elaborar a Reforma da Previdência diante da que foi aprovada a nível nacional pelo Congresso.

“O governador não disse: ah eu quero agora fazer uma reforma da Previdência. Ele foi obrigado a fazer essa reforma. Por quem? Pelo artigo 11 da emenda constitucional 103 que impôs a todos os estados e municípios que têm regime próprio de previdência social que adequem as suas norma à norma federal que foi aprovada” explicou.

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Caso Ivanildo Viana: Sargento Arnóbio e mais seis serão julgados em fevereiro

O 1º Tribunal do Júri da Comarca de João Pessoa realizará, no próximo mês, o julgamento dos réus Arnóbio Gomes Fernandes, mais conhecido como “Sargento Arnóbio”; Erivaldo Batista Dias, o…

Jovem de Coremas tira nota 1000 na redação do Enem; governador parabeniza

Carolina Alves Dias. Este é o nome da jovem de 21 anos que conquistou a nota 1000 na redação do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). O resultado foi divulgado…