“A reforma da Previdência não foi uma opção de João Azevêdo” desta forma o procurador geral do Estado, Fábio Andrade, resumiu o cenário que ronda a votação da medida na Assembleia Legislativa da Paraíba e que vem trazendo divergências dentro e fora da Casa.

De acordo com Fábio, em entrevista a uma emissora de TV paraibana, o tema é polêmico porque mexe com o presente e além disso com o futuro dos servidores públicos.

“Reforma da previdência sempre gera muito debate e polêmica até porque são temas que mexem com o cotidiano dos servidores públicos sobretudo a da previdência que além de mexer com o presente, mexe com o futuro” disse.

Quanto à escolha, ou não por parte de João, de realizar as mudanças o procurado ressaltou que o governador foi obrigado a elaborar a Reforma da Previdência diante da que foi aprovada a nível nacional pelo Congresso.

“O governador não disse: ah eu quero agora fazer uma reforma da Previdência. Ele foi obrigado a fazer essa reforma. Por quem? Pelo artigo 11 da emenda constitucional 103 que impôs a todos os estados e municípios que têm regime próprio de previdência social que adequem as suas norma à norma federal que foi aprovada” explicou.

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Carro fica destruído após pegar fogo em movimento em JP

Em uma cena cinematográfica, um carro pegou fogo na manhã desta quarta-feira (8) na avenida Epitácio Pessoa, em João Pessoa. O veículo ficou completamente destruído. Inicialmente, com o carro em…

Açude de Boqueirão ultrapassa 63% de sua capacidade e está a quatro metros para sangrar

Com as cheias dos rios Taperoá e Paraíba, o açude Epitácio Pessoa, em Boqueirão atingiu 63,7% do volume total e está a quatro metros para atingir a capacidade máxima e…