O fumo é considerado umas das principais causas do câncer. Segundo estimativas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a Paraíba possui atualmente 468.596 fumantes, o que representa 11,5% da população. O Instituto Nacional de Câncer (Inca)aponta que o tabagismo é responsável por 90% dos casos de câncer no pulmão e por 30% das mortes decorrentes de outros tipos de câncer. Nesta sexta-feira (31), Dia Mundial sem Tabaco, o pneumologista do Hapvida, Jorge Benevides, destaca que mudança de hábitos alimentares e práticas de exercícios físicos ajudam a largar o vício.
 
O pneumologista afirma que existem diversas orientações para quem deseja parar de fumar que incluem alimentação e atividades físicas. Benevides alerta para a importância do acompanhamento profissional para superar este obstáculo. “Sem ajuda médica, sem ajuda de um grupo multidisciplinar, as coisas se tornam mais difíceis porque a agressão ao corpo e ao cérebro é devastadora”, completa.
 
O especialista explica a transformação que o tabagismo causa no corpo humano. “O pulmão é uma estrutura anatômica que não foi criada para receber substâncias tóxicas. As vias respiratórias suportam um calor no entorno de 70°. Uma tragada de cigarro, além de ter uma temperatura acima de 120°, leva consigo mais de 2.500 substâncias tóxicas ou cancerígenas. Com o decorrer dos anos, esse calor e essas substâncias vão mudando as células do órgão gerando os mais variados tipos de câncer”, comenta.
 
O tabaco pode afetar as pessoas de diferentes formas, mas a mais comum é por meio do cigarro. Porém, vale ressaltar que o uso de charuto, cachimbo, narguilé e cigarros eletrônicos também é danoso à saúde e está diretamente ligado ao câncer.
 
E o risco não atinge apenas os fumantes. A fumaça do cigarro pode prejudicar e aumentar a probabilidade de desenvolvimento de câncer também daqueles que convivem com fumantes e acabam inalando substâncias tóxicas. Segundo a Fundação do Câncer, inclusive, crianças que convivem com pais fumantes adoecem mais de infecções respiratórias e aumentam as chances de se tornarem fumantes no futuro.
 
Números -Em 2017, em toda a Paraíba, 618 pessoas morreram vítimas de cânceres relacionados ao fumo (laringe, pulmões, boca e faringe). No ano passado, o número de mortes caiu para 594 e em 2019, até o momento, foram registrados 213 óbitos.

 

Assessoria
 

Foto: reprodução

 


Certificado digital mais barato para advogados e contadores. Clique e saiba como adquirir

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

ALPB: apesar de problema cardíaco, licença de Ludgério está descartada

Está descartada uma licença de mais de 121 dias para tratamento de saúde, do deputado estadual Manoel Ludgério (PSD), após passar mal, na tarde de ontem, terça-feira (20), por conta…

Confira locais de prova do concurso para servidores da UFCG

Prova objetiva está prevista para ser aplicada no dia 15 de setembro A Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), através da Comissão de Processos Vestibulares (Comprov), disponibilizou nesta quarta-feira, dia…