O presidente Michel Temer chegou às 18h35 para o jantar com seus colegas Donald Trump (Estados Unidos), Juan Manuel Santos (Colômbia) e Juan Carlos Varela (Panamá), em Nova York. O mandatário brasileiro chegou atrasado ao evento, devido ao intenso trânsito na cidade americana. Não há agenda fechada para a reunião, mas certamente será debatido a Venezuela. Fontes diplomáticas acreditam que Trump quer se aproximar da América Latina, ouvindo seus líderes.

O jantar começou com um discurso de Trump contra o regime do preisdente venezuelano Nicolás Maduro. O presidente americano afirmou o país tem um governo desastroso e que as pessoas estão sofrendo e que o país "está em colapso":

— Os Estados Unidos estão dando passos importantes para responsabilizar o regime de Maduro — disse.

Alguns manifestantes brasileiros protestam contra o governo de Michel Temer nas cercanias do hotel onde acontece o encontro. Além das mensagens contra o presidente, alguns cartazes pediam a defesa da Amazônia. A polícia, contudo, impede a aproximação destes grupos do hotel.

Trump destacou que a "terrível ditadura" de Nicolás Maduro gera muito sofrimento ao povo do país:

— Ele desafiou seu próprio povo, roubou poder de representantes eleitos para preservar o seu governo desastroso. O povo da Venezuela está passando fome e o país está em colapso.

O presidente americano afirmou que o objetivo da reuniao e ajudar o país a se recuperar com democracia, indicando que as instituições democráticas estão sendo destruídas:

— Os EUA estão tomando passos para responsabilizar o regime e estamos prontos para adotar ações adicionais — disse Trump, fazendo ameaças veladas a Caracas, lembrando que os EUA tem forte relação com todos os países reunidos no jantar.

 

Foto: Kevin Lamarque 

O Globo

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Temperatura média do planeta pode subir 3,4°C até 2100

Um novo relatório da Organização das Nações Unidas (ONU) aponta que a média da temperatura do planeta poderá aumentar em até 3,4 º C até o final deste século. O…