Por pbagora.com.br

Os talibãs paquistaneses vinculados à rede terrorista Al-Qaeda reivindicaram nesta terça-feira (6/10) o atentado suicida de segunda-feira que matou cinco funcionários da ONU em um prédio da organização em Islamabad.
"O ataque foi executado por nós, reivindicamos a responsabilidade", declarou Azam Tariq, porta-voz do Movimento dos Talibãs do Paquistão (TTP), em uma entrevista por telefone, de um local desconhecido.

O TTP, que alega ser vinculado à Al-Qaeda, é o principal responsável pela onda de atentados – a maioria deles suicida – que já matou mais de 2.100 pessoas no Paquistão nos últimos dois anos.
Um homem com uniforme militar executou o atentado suicida na segunda-feira na sede local, muito protegida, do Programa Mundial de Alimentos (PMA) de Islamabad, matando quatro paquistaneses e um iraquiano que trabalhavam para a agência.

A comunidade internacional condenou o atentado contra o PMA, a agência da ONU que administra e distribui a ajuda em alimentos da organização.

"O PMA promove a ação dos Estados Unidos e silencia as matanças e os assassinatos cometidos no Waziristão e em outras zonas", declarou Azam Tariz.

O líder talibã fazia referência aos vários disparos de mísseis por aviões sem piloto americanos, do Exército ou da CIA, contra os talibãs afegãos e paquistaneses e os líderes da Al-Qaeda no noroeste do Paquistão.

Correio Brasileiro

Notícias relacionadas

Vacinados nos Estados Unidos não precisam mais usar máscaras

Os americanos totalmente vacinados — aqueles que receberam as duas doses do imunizante — contra a covid-19 não precisarão mais usar máscaras ao ar livre ou em locais fechados, anunciou…