Veículos teriam chegado ao Brasil através de esquema que envolve máfia de israelenses e bicheiros

Um dos dois carros do cantor Latino, apreendidos pela Receita Federal, já está no pátio da Superintendência da PF, na Praça Mauá. Somados, os valores dos dois veículos apreendidos ultrapassa R$ 600 mil. O confisco faz parte das investigações da Operação Black Ops. A ação visa desarticular uma máfia israelenses, que age no Rio de janeiro, e atua no contrabando de carros de luxo com o apoio de bicheiros cariocas.

Além de Latino, tiveram veículos confiscados o cantor Belo e os jogadores de futebol Emerson Sheik, do Corinthians, Diguinho, do Fluminense. Kleberson, do Atlético Paranaense, ex-Flamengo, também está sendo alvo das investigações da Polícia Federal.

Prejuízo do cantor com apreensão de dois veículos chega a R$ 640 mil .De acordo com a PF, o que está sendo analisado pelos agentes é se os famosos agiram de boa fé adquirindo os carros e se sabiam que os automóveis eram provenientes de um esquema montado por uma quadrilha de Israel.

O Porsche Panamera 4, modelo 2011, do cantor Latino tem 300 cavalos de potência. Em menos de seis segundos, o carro vai de 0 a 100km/h. Sua velocidade máxima chega aos 257km/h.

Cofre na Zona Norte

Na última sexta-feira, a PF prendeu 11 pessoas, apreendeu 42 veículos, além de recolher cerca de R$ 440 mil (R$ 60 mil em cheques). Parte dos recursos em dinheiro foram encontrados em dois cofres apreendidos no Engenho de Dentro, Zona Norte do Rio.

Ao todo, a Justiça do Rio expediu 23 mandados de prisão e 119 de busca e apreensão.

Jornal do Brasil

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário