Por pbagora.com.br

 O número de mortos no ataque a um shopping de luxo em Nairóbi, capital do Quênia, subiu neste domingo para 59, de acordo com o ministro do Interior, Joseph Ole Lenku, que acrescentou que as forças de segurança estão tentado garantir a saída de mais reféns do local, segundo informações da agência Reuters. Pelo menos 175 pessoas ficaram feridas.

Ole Lenku disse hoje que o governo acredita que há entre 10 e 15 homens no grupo, e suas identidades ainda estão sendo investigadas. O ministro afirmou ainda que 1 mil pessoas já foram resgatadas até o momento.

Nesse sábado, radicais islâmicos somalis da Al-Shabab assumiram a autoria pelo ataque em um shopping no centro comercial Westgate – até o final da noite de ontem, as autoridades haviam confirmado a morte de 39 pessoas.

O exército mantém o luxuoso e movimentado centro comercial de Westgate sitiado. Várias ambulâncias se encontram preparadas nas ruas próximas, e a imprensa foi afastada ainda mais do epicentro do ataque. Testemunhas relataram a ocorrência de novos tiroteios no shopping neste domingo. Dois soldados feridos já foram retirados pelos colegas.

Desde outubro de 2011, quando o exército do Quênia entrou na Somália como resposta a uma onda de sequestros supostamente obra da Al-Shabab no vizinho território queniano, os radicais islâmicos ameaçaram o país com represálias. Desde então, foram registrados dezenas de ataques em áreas fronteiriças com a Somália, na cidade portuária de Mombaça e no próprio Nairóbi, que deixaram mais de uma centena de vítimas até o momento.

Com informações da agência EFE

Terra