Por pbagora.com.br

O presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, lamentou nesta quinta-feira (29) declarações de seu colega brasileiro Luiz Inacio Lula da Silva sobre a ruptura de relações diplomáticas entre Colômbia e Venezuela, segundo comunicado oficial.

Uribe "deplorou" o fato de Lula se referir à crise diplomática como se fosse um "caso de assuntos pessoais", ignorando a ameaça que seria para a Colômbia a presença da guerrilha das Farc em território venezuelano.

 

"O presidente da República deplora que o presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, com quem temos cultivado as melhores relações, se refira a nossa situação com a República Bolivariana da Venezuela como se fosse um caso de assuntos pessoais, ignorando a ameaça que, para a Colômbia e o continente, representa a presença dos terroristas das Farc neste país", diz a nota.

"O presidente Lula desconhece nosso esforço para buscar soluções através do diálogo", continua, que insiste em que a única solução é que a Venezuela não permita a presença de guerrilheiros em seu território.

As declarações de Lula foram feitas na véspera. Lula disse que pretende se reunir com Uribe, com o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, e com o presidente eleito da Colômbia, Juan Manuel Santos, para ajudar a reconciliar os vizinhos.

O brasileiro afirmou que só acredita que uma solução possa ser buscada depois da posse de Santos, em 7 de agosto. .“ O que nós temos é que ter, primeiro, paciência, que o presidente Santos tome posse”, disse Lula.

 

Nesta quinta, ocorre em Quito (Equador) uma reunião extraordinária da Unasul (União Sul-Americana de Nações) para tratar da conciliação.

A Venezela prometeu apresentar uma proposta de paz, mas o governo colombiano insisite em um mecanismo para checar as denúncias da presença da guerrilha em território venezuelano.

 

G1