O cantor de ópera Plácido Domingo foi hospitalizado no México devido complicações do novo coronavírus. O artista havia revelado o diagnóstico positivo para a covid-19 na semana passada numa rede social, onde lembrou os fãs da importância de lavar as mãos e seguir as orientações médicas de isolamento social.

A internação da lenda da ópera foi anunciada por um porta-voz dele ao canal de TV americano “CNN”. Segundo o comunicado, Domingo está “indo bem e respondendo ao tratamento” em um hospital em Acapulco.

Recentemente, o tenor teve sua vida e carreira viradas do avesso quando 20 mulheres o denunciaram por assédio sexual. Apesar de negar inicialmente alegando que as relações haviam sido “consensuais”, no mês passado o cantor mudou de postura e assumiu “toda a responsabilidade” por seus atos. “Quero que saibam que sinto muito pelo sofrimento que causei a vocês”, afirmou o artista, de 79 anos, em um comunicado.

Domingo, que em sua longa e prolífica carreira ocupou cargos de liderança na Ópera de Los Angeles e na Ópera Nacional de Washington e venceu 12 prêmios Grammy, foi acusado pelas mulheres de beijá-las à força, agarrá-las ou acariciá-las. Várias vítimas afirmaram que sofreram pressão do cantor para que tivessem relações sexuais com ele e que, às vezes, adotava represálias profissionais quando suas insinuações eram rejeitadas.

A investigação começou depois que a “Associated Press” informou, em 2019, que dezenas de mulheres haviam acusado Domingo de assédio sexual ou comportamento inapropriado. Os episódios teriam ocorrido no final da década de 1980, e a maioria das vítimas não foi identificada.

Várias empresas americanas, incluindo a Metropolitan Opera e a San Francisco Opera, cancelaram as aparições de Domingo após as denúncias. Mas companhias europeias disseram que aguardariam o resultado das investigações sobre seu comportamento antes de agir. Não ficou claro como eles responderão às descobertas do sindicato.

O Globo

Deixe seu Comentário