Por Elcio Nunes

Estamos a viver mais um período de violência no Oriente Médio, que envolve judeus e árabes. Essa escalada de violência já é tão corriqueira e antiga, que para muitos parece ser um acontecimento normal. Quem sabe, você que ler esse artigo está a dizer a si mesmo: “outra vez Judeus e Palestinos com a mesma picuinha?” Pode parecer normal, porém, não é. Cruel, sanguinário e perverso, são os termos que ponho como adjetivo a esses acontecimentos milenares.

Por mais que queiramos correr das raízes e explicarmos esse acontecimento que traz uma cara absurda, não podemos negar que para entendê-lo temos que ir à Bíblia Sagrada, principalmente ao livro do Gênesis, onde nos explica como começou essa luta, e seguirmos com uma visita ao livro bíblico do Apocalipse, que nos traz um panorama amplo e claro de onde e como essa batalha terminará.

O que acontece hoje naquela parte do mundo, é apenas o iceberg de um todo que está por acontecer e que envolverá todas as nações da terra, numa só batalha chamada Armagedom. Os árabes (palestinos), sempre estiveram e estarão presentes na vida do povo judeu, eles provêm de Ismael, que provém de Abraão, e a promessa foi feita por Deus ao patriarca de que criaria esse povo e não o desampararia. Gênesis 21.18. “Levanta-te Hagar, pega o menino (Ismael) e, toma-o pela mão, porque farei dele uma grande nação (leia o capítulo completo de Gênesis 21, para entender melhor o enredo). Hoje os palestinos e o mundo árabe são um calo que incomoda constantemente ao povo judeu. O Hamas, é só um dos grupos de ódio contra Israel da era moderna, outros grupos se levantaram no passado e outros ainda se levantarão, até que Cristo venha. Essa batalha é como uma espada de dois gumes; ela é visível e invisível; nela luta homens e anjos, do bem e do mal.

Os árabes e palestinos, reclamam dos judeus Jerusalém como sua capital, também o direito sobre outros territórios, que hoje se encontra sob o domínio do Estado de Israel. Ponha muita atenção no que agora irei mencionar: ainda que Israel, entregasse Jerusalém como capital aos palestinos e devolvesse todos os territórios por eles reclamados, ainda assim, essa peleja não teria fim. Essa guerra é espiritual e os árabes querem a destruição completa do povo judeu naquela área, coisa que não se dará, pois foi o próprio Deus que entregou aquele território a eles. E saiba mais: nos últimos dias, Israel avançará para conquistar uma área mais ampla, que envolverá outras nações que hoje existem no seu entorno e que com Israel fazem fronteiras.

Quando lemos o sexto livro da Bíblia, que leva o nome do general Josué e, analisamos a área que Deus entregou em suas mãos para ser conquistada, na realidade, envolve um território mais amplo do que Israel possui na atualidade. Deus mapeou toda área a ser conquistada por Josué e seu exército naqueles dias, porém, o povo judeu voltou a perdê-la por desobediência. Infelizmente, esse conflito se estenderá e envolverá outras gerações que virão depois de mim e você, até que Cristo regresse. Realmente, esse conflito bélico e de ódio, nos levará junto com todo o mundo à terrível e última batalha dos últimos dias: “Armagedom.”

Oremos pela paz naquela área do mundo e especialmente pela paz e equilíbrio de Israel.

Por Elcio Nunes

Por Elcio Nunes