Por pbagora.com.br

O presidente dos EUA, Barack Obama, chegou nesta terça-feira (7) a Bagdá, capital do Iraque, para uma visita surpresa, segundo a Casa Branca.

Obama veio de Istambul, na Turquia, última escala de sua tour pela Europa.

Obama disse em Bagdá que os "próximos 18 meses" podem ser "críticos" no Iraque, enquanto grande parte das tropas americanas deve deixar o país daqui ao fim de agosto de 2010. 

O presidente dos EUA chega à capital iraquiana no mesmo dia em que um atentado a bomba matou 8 em uma vizinhança xiita, e um dia após uma série de ataques ter matado 32 pessoas

Obama afirmou que sua visita surpresa tem como objetivo "expressar seu agradecimento aos soldados" posicionados no local e seu "extraordinário trabalho".

Em declarações à imprensa que o acompanha, Obama disse que ainda resta muito trabalho a fazer, mas "conseguimos progressos políticos significativos" no Iraque, onde determinou o fim das operações de combate e a saída da maioria dos atuais 144 mil soldados no país até agosto do próximo ano.

Segundo o presidente americano, com a realização de eleições no Iraque em dezembro, "muitas das questões pendentes podem começar a ser resolvidas".

Obama também falou do Afeganistão, a outra guerra pendente dos EUA e para onde revelou uma nova estratégia.

"Evidentemente, passamos muito tempo tentando pensar nisso para que saia o melhor possível", disse.

Segundo o porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs, do avião presidencial Air Force One, Os planos iniciais da Casa Branca contemplavam, segundo Gibbs, um deslocamento de helicóptero a Bagdá para se reunir com o primeiro-ministro iraquiano, Nouri al-Maliki, e o presidente, Jalal Talabani.

O mau tempo e a falta de visibilidade, no entanto, levaram a uma mudança de planos, por isso, Obama se deslocou por estrada à base aérea americana Camp Victory.

Na base, reuniu-se com o comandante das tropas americanas no Iraque, general Ray Odierno, enquanto Maliki deveria se deslocar de Bagdá à base para se reunir com Obama.

Durante sua estadia na base, também cumprimentaria os soldados e participaria de uma cerimônia para conceder dez medalhas.

A visita do presidente americano ao Iraque é a primeira desde sua chegada à Casa Branca e ocorre depois do registro de um aumento da violência no país semelhante aos níveis de 2006 e 2007.
 

 

G1

Deixe seu Comentário