Por pbagora.com.br

A Marinha britânica anunciou a apreensão de cinco toneladas e meia de cocaína com valor estimado de vendas nas ruas de US$ 380 milhões (cerca de R$ 703), na costa da América do Sul.

 

A fragata HMS Iron Duke apreendeu a droga, na maior apreensão do tipo já feita pela corporação, em um barco pesqueiro de 138 pés (cerca de 42 metros).

 

A Marinha britânica e a guarda-costeira americana interceptaram o barco depois de ele ter sido avistado pela tripulação de um helicóptero da marinha.

 

A carga de 212 pacotes de cocaína, pesando cerca de 26 quilos cada, foi apreendida em uma área conhecida pelo movimento do tráfico – mas não revelada pelas autoridades.

 

Segundo o comandante da fragata, Andrew Stacey, essa foi "a maior apreensão de cocaína já feita em termos de valor e volume. É um grande golpe para a indústria dos narcóticos."


Sucesso contra as drogas
Stacey disse que a tripulação, com o apoio de um helicóptero e barcos infláveis, interceptou o barco, MV Cristal, no dia 15 de setembro e passou 24 horas fazendo buscas até encontrar as drogas, escondidas em tanques ocultos sob o deque por uma camada de concreto.

 

Depois da apreensão, o barco dos traficantes foi afundado pela Marinha.

 

O comandante Stacey afirmou que foram presos vários traficantes, de diferentes nacionalidades, mas não revelou mais detalhes.

 

Outro navio britânico, o RFA Fort George, também esteve envolvido na operação.

 

A primeira tarefa do HMS Iron Duke, durante sua missão de seis meses, é dar assistência aos moradores dos territórios britânicos – dentre eles algumas ilhas do Caribe, como Anguilla, Bermudas e Ilhas Virgens Britânicas – durante a temporada de furacões.

 

O navio de guerra também coopera com operações antinarcotráfico.

 

Em julho e agosto, o navio esteve envolvido em duas operações que apreenderam cocaína com valor de venda nas ruas de cerca de R$ 115 milhões.

 

O príncipe William serviu a bordo do HMS Iron Duke em julho de 2008, quando a tripulação apreendeu cocaína no Caribe, com valor de mais de R$ 118 milhões em vendas nas ruas.

G1