Os documentos recolhidos no complexo onde foi localizado Osama bin Laden em maio, no Paquistão, demonstram que o líder da organização terrorista Al Qaeda estava preocupado com a situação financeira da rede e com os ataques de aviões não tripulados dos Estados Unidos, revelou nesta sexta-feira (1º) o Washington Post.

Segundo o diário, que cita autoridades que trabalham na equipe de investigação criada para analisar os documentos apreendidos no dia 2 de maio, durante o ano passado Bin Laden enviou e-mails expondo sua preocupação.

De fato, o terrorista estava tramando maneiras para que a rede reafirmasse sua força e aprovou a criação de uma unidade de contra-inteligência para afastar traidores e espiões de dentro da organização.

De acordo com os documentos, poucos meses antes da Primavera Árabe, Bin Laden advertiu seus filiados no Iêmen e em outros lugares de que era muito cedo para criar um Estado islâmico, argumentando que não havia suficiente apoio regional à Al Qaeda para justificar tímidos passos em direção ao restabelecimento do califado.

Os analistas da CIA e de outras agências estão estudando minuciosamente os arquivos acumulados durante anos por Bin Laden, o que usarão para recriar um novo retrato e uma ideia mais real da Al Qaeda e de seu fundador.

As autoridades afirmam que o material seguirá fornecendo informações sobre a organização terrorista nos próximos anos, embora o grosso do trabalho já esteja feito.

"Copyright Efe – Todos os direitos de reprodução e representação são reservados para a Agência Efe."


R7

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário