Por pbagora.com.br

A quarta-feira (4) seguinte às eleições presidenciais dos Estados Unidos amanhece sem um vencedor definido. O democrata Joe Biden conseguiu vitórias cruciais, como no Arizona, e viu uma chance grande de vencer na Geórgia. O republicano Donald Trump, porém, tem a seu favor as conquistas na Flórida, no Texas e em Ohio.

Os estados decisivos ainda devem ser Michigan, Wisconsin e, principalmente, Pensilvânia. Nesses três estados, vencidos por Trump em 2016, o republicano aparece na frente na apuração até agora.

Falta contar, entretanto, uma série de votos enviados por correio — e a expectativa é de que essas cédulas enviadas antecipadamente favoreçam Biden. Essa contagem pode levar dias até que seja concluída. A dúvida é se isso será suficiente para o democrata virar o jogo nessa região.

Em discurso na Casa Branca, Trump disse que era muito difícil Biden virar nesses estados e disse que iria à Suprema Corte — de maioria conservadora — para pedir a interrupção da contagem dos votos depois desta quarta. Em outro tom, Biden pediu que todos os votos fossem levados em conta até o fim da apuração.

Em pronunciamento na madrugada desta quarta-feira (4), o presidente Donald Trump afirmou que, por direito, ganhou a eleição e irá recorrer à Suprema Corte para parar a contagem de votos e impedir uma “fraude”. Ele fez a afirmação mesmo estando atrás de Joe Biden nas projeções de delegados no colégio eleitoral.

“De repente, eu disse: o que aconteceu com a eleição? … Eles sabiam que não podiam ganhar, então disseram, ‘vamos ao tribunal'”, afirmou o republicano. “Queremos que a lei seja usada de maneira adequada, por isso iremos ao Supremo Tribunal dos Estados Unidos. Queremos que todas as votações parem”, disse. “Não queremos que eles encontrem cédulas às quatro da manhã e as adicionem à lista”, continuou.

A campanha de Biden afirmou que, caso Trump de fato procure a Suprema Corte para impedir a contagem dos votos restantes, a equipe de advogados deles está de prontidão para impedir.

Pensilvânia
A Pensilvânia é considerada um dos estados chave para esta eleição justamente por causa do grande número de votos enviados pelo correio, uma modalidade na qual os democratas tiveram uma quantidade muito maior de adeptos este ano.

Graças a uma autorização concedida pela Suprema Corte, aqueles que foram enviados até a data limite de terça-feira – dia da eleição – poderão ser contados até a sexta-feira, dia 6. Isso deve fazer com que os resultados no estado demorem mais do que o normal a serem conhecidos.

Embora Trump apareça na frente no início da apuração na Pensilvânia, a expectativa é de que o quadro seja revertido a favor de Biden, que liderava pesquisas, quando os votos por correio foram computados.

Joe Biden discursou brevemente para apoiadores e disse que resultado não sai agora, mas que estão no caminho certo para a vitória. “Sabíamos que teríamos que esperar, teríamos que ser pacientes”, disse o democrata. “Acreditamos que estamos no caminho para ganhar esta eleição. Viramos no Arizona, ainda estamos no jogo na Geórgia. E vamos ganhar na Pensilvânia!”, continuou. “Pode demorar um pouco mais. Não é minha função ou de Donald Trump declarar quem ganhou esta eleição, isso é uma decisão do povo americano. Mantenham a fé, nós vamos ganhar!”, afirmou.

G1

Deixe seu Comentário