Por pbagora.com.br

Antes do treino classificatório deste sábado, a única pergunta na cabeça de quem acompanha a Fórmula 1 era qual dos carros da RBR largaria na frente no GP da Hungria. Afinal, Sebastian Vettel e Mark Webber dominaram todas as sessões disputadas neste fim de semana no circuito de Hungaroring, e a equipe austríaca tinha marcado dez poles em 11 corridas nesta temporada. A definição do grid de largada não teve surpresas, e sim um show de Vettel. O alemão voou e marcou o impressionante tempo de 1m18s773, bateu o recorde de Michael Schumacher em 2004 – 1m19s146 – e marcou a pole pela sétima vez em 2010. Webber foi 411 milésimos mais lento e sai ao seu lado na primeira fila neste domingo.

Sem condições de chegar nos carros da RBR, a Ferrari teve de se contentar com a segunda fila em Hungaroring. Fernando Alonso marcou o terceiro tempo, quase quatro décimos à frente de Felipe Massa, o quarto colocado. Lewis Hamilton chegou a ameaçar a posição do brasileiro, mas acabou apenas em quinto com sua McLaren, 168 milésimos atrás. Rubens Barrichello, da Williams, não conseguiu uma vaga na superpole e larga apenas em 12º. Lucas di Grassi, da VRT, ficou em 22º e Bruno Senna, da Hispania, em 23º. A Rede Globo transmite o GP da Hungria neste domingo, ao vivo, a partir das 9h (de Brasília).

Nico Rosberg, da Mercedes, marcou o sexto tempo e superou mais uma vez o heptacampeão Michael Schumacher, que larga apenas em 14º. O russo Vitaly Petrov, da Renault, conseguiu sua melhor posição no grid nesta temporada e sai em sétimo. De quebra, ele ainda superou pela primeira vez o companheiro Robert Kubica em treinos classificatórios. O polonês ficou em oitavo, à frente de Pedro de la Rosa, da Sauber, o nono, e de Nico Hulkenberg, da Williams, o décimo.

Alonso tenta furar domínio da RBR no Q1

A primeira parte do treino classificatório (Q1) começou com o domínio dos carros da RBR. Vettel e Webber se revezavam na primeira posição, enquanto Alonso, na Ferrari, era o que mais se aproximava da equpe austríaca. No entanto, sem ameaçá-los em nenhum momento. Com muito tráfego, alguns pilotos chegaram a ser atrapalhados, mas nenhuma intervenção dos carros mais lentos acabou decisiva para os eliminados neste trecho da sessão.

As equipes estreantes – Lotus, VRT e Hispania – ocuparam seis das sete vagas entre os eliminados no Q1. Lucas di Grassi e Bruno Senna não conseguiram bons tempos e largam nas duas últimas filas. Além deles, Kamui Kobayashi, da Sauber, acabou tendo sua última volta atrapalhada pelo carro do brasileiro da Hispania, que tinha errado, e acabou fora da segunda parte. O japonês ainda ignorou a chamada para a pesagem na entrada dos boxes e pode ser punido após o treino.

Problema com pneus tira Barrichello da superpole

Na segunda parte (Q2), a RBR conseguiu ser ainda mais rápida. Como os carros usaram os pneus supermacios, a equipe austríaca voou. Webber e Vettel foram os únicos a baixar para a casa de 1m19s neste trecho, marcando os melhores tempos do fim de semana até agora. Novamente Alonso marcou o terceiro tempo, mais longe dos rivais, mas seis décimos à frente de Massa, que ficou em sexto. O brasileiro se classificou, mas longe de uma vaga nas duas primeiras filas.

Jenson Button não conseguiu uma vaga na superpole e largará apenas em 11º neste domingo. O inglês ficou logo à frente de Barrichello, que teve problemas com o aquecimento dos pneus em sua volta rápida e sofreu com as saídas de traseira de seu carro. Além deles, Michael Schumacher continuou em sua má fase e foi amplamente superado – de novo – pelo companheiro Nico Rosberg.

 

g1