No dia 26 de setembro de 1993, Alain Prost terminava o GP de Portugal em segundo e, aos 38 anos, conquistava seu quarto título mundial, algo raro na Fórmula 1. Vinte anos depois, neste domingo 27 de outubro, um “moleque” chamado Sebastian Vettelreescreve a história da categoria e iguala o renomado “Professor” em número de títulos. E tudo isso com apenas 26 anos. O alemão da RBR agora é o tetracampeão mais jovem da história, superando seu compatriota, o hepta Michael Schumacher, que levantou sua quarta taça aos 32, em 2001.

A conquista veio com três etapas de antecedência, no GP da Índia deste domingo, válido pela 16ª etapa da temporada. E com mais uma vitória, a terceira no Circuito Internacional de Buddh, a décima no ano, a sexta de forma consecutiva. Mas diferentemente das corridas anteriores na pista indiana, quando venceu de ponta a ponta, liderando todas as voltas, o triunfo desta vez foi de outra forma, na estratégia.

A RBR apostou em chamar o alemão para os boxes logo na segunda volta, para se livrar logo dos pneus macios, já que pelo regulamento é preciso usar os dois tipos de compostos. Com pneus médios pelo restante da prova, Vettel protagonizou uma meteórica escalada e rapidamente voltou para as primeiras posições. Na metade da corrida, o alemão voltou à liderança, onde ficou até a bandeirada. Nico Rosberg (Mercedes) e Romain Grosjean (Lotus) completaram o pódio. E mesmo com a quebra de Mark Webber a poucas voltas do fim quando era segundo colocado, a RBR também assegurou o tetra do Mundial de Construtores. Festa completa nos boxes da equipe austríaca.

Comemorar o tetra com vitória foi um sabor a mais. Porém, Vettel poderia nem ter pontuado que levantaria a taça. Graças a uma atuação irreconhecível de Fernando Alonso, único que tinha chances de adiar o tetra do alemão. O espanhol da Ferrari quebrou o bico logo na largada, precisou fazer uma parada a mais nos boxes e figurou em posições intermediárias durante toda a corrida, terminando em um 11º lugar.

Contrastando com a apagada atuação de Alonso, Felipe Massa chegou em quarto e foi um dos grandes destaques da corrida. Partindo em quinto, o brasileiro fez uma primeira volta fantástica: engoliu Mark Webber na largada e fez uma ultrapassagem dupla sobre as Mercedes de Rosberg e Lewis Hamilton para assumir a segunda posição. Ainda sentiu o gostinho de ser líder por seis voltas após o pit stop de Vettel. No fim, perdeu posições na estratégia de parada nos boxes, mas quase beliscou um pódio.

A Fórmula 1 já volta no próximo fim de semana, para o GP de Abu Dhabi. A briga agora ficará por conta dos vice-campeonatos. Com 322 pontos, Vettel não pode ser mais alcançado por ninguém. Alonso segue na vice-liderança com 207, seguido por Raikkonen (183) e Hamilton (169). No Mundial de Construtores, a RBR, com 470 pontos, também não pode mais ser ultrapassada. A disputa pelo bônus financeiro para o segundo lugar promete ser acirrada entre Ferrari (309) e Mercedes (303).
Massa faz mágica na primera volta

Vettel demorou a tracionar e precisou se defender da investida de Hamilton, que tentava pular da terceira posição para a ponta. Webber tocou em Raikkonen e acabou sobrando para Alonso, que encostou na RBR e quebrou o bico. O espanhol, que largara em oitavo, caiu para décimo. O grande destaque da primeira volta foi Felipe Massa. Ultrapassou o australiano da RBR e, em seguida, protagonizou uma espetacular ultrapassagem dupla, sobre Hamilton e Rosberg, assumindo a segunda posição. O alemão da Mercedes deixou o companheiro de time para trás e subiu para terceiro.

Pit stop precoce
Na ponta, Vettel conseguiu abrir uma impressionante vantagem já na volta de abertura. Mas no giro seguinte, uma surpresa. A RBR chamou urgentemente o alemão para fazer o pit stop tão precoce quanto sua vitoriosa carreira. O piloto troca os pneus macios para os médios e retornou em 17º. Com isso, Massa assumiu a liderança da corrida. Na mesma volta, Alonso também foi para os boxes, para trocar os pneus e o bico, caindo para 20º.

Massa, Rosberg e Hamilton fizeram seus pit stop antes da décima volta e Webber assumiu a ponta, seguido por Pérez, Ricciardo, Grosejan e Sutil. Nenhum deles havia visitado os boxe. Mais para trás, Vettel estrelava uma recuperação meteórica após a parada precoce. Ganhando posições com ultrapassagens e pit stops dos rivais, o alemão já aparecia em quinto na décima volta. Após ultrapassar Grosjean e Ricciardo, o prodígio da RBR subiu para a terceira colocação. Enquanto isso, Alonso tinha dificuldades para escalar o pelotão e era apenas o 14º.

Assim como Vettel fez no início da prova, Webber deu apenas duas voltas com pneus macios e logo trocou para os médios. O australiano caiu para terceiro, logo atrás de seu sucessor, Ricciardo, que ainda não havia parado. O jovem da STR, enfim, foi para os boxes a 20 voltas do fim, colocando o compatriota novamente em segundo. Mas a via-crúcis de Webber ganhava mais um capítulo. Novamente com problemas, dessa vez no sistema elétrico, o australiano abandonou a corrida. Come-quieto, Raikkonen herdou o segundo lugar, seguido por Rosberg, Grosjean, Massa e Hamilton. Enquanto isso, Alonso figurava em uma melancólica 14ª posição.

A quebra de Webber deixou a RBR preocupada. Com medo de o problema se repetir com Vettel, a equipe pediu até para que o alemão evitasse de se hidratar, para evitar qualquer acionamento “desnecessário” de sistemas elétricos. Apesar do receio, Vettel seguia com imensa vantagem na ponta sobre o segundo colocado, Rosberg: 25s.
Mais atrás, briga caseira da dupla da Lotus pela terceira posição. Grosjean partiu para cima de Raikkonen para buscar um lugar no pódio. Após levar o bote do francês, o “Homem de Gelo” fez jogo duro e os dois chegaram a se tocar. Massa, o quinto, se aproveitou para colar nos dois e ganhar a quarta posição do finlandês. Com pneus desgastados, Kimi não conseguiu se segurar na pista e precisou fazer um pit stop extra.

Lá na frente, Vettel seguiu absoluto na ponta, levou o carro na ponta dos dedos e comemorou o tetracampeonato. Quase trinta segundos depois, Rosberg cruzou em segundo. Grosjean completou o pódio, seguido de perto por Felipe Massa. Pérez, Hamilton, Raikkonen, Di Resta, Sutil e Ricciardo completaram os dez primeiros. Alonso ainda conseguiu ganhar algumas posições, mas terminou em 11º, fora da zona de pontuação. O domingo era mesmo de Sebastian Vettel.

G1

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Flamengo vence Fortaleza de virada e mantém embalo no Brasileirão

O Flamengo segue imbatível no Campeonato Brasileiro. Em partida disputada na noite desta quarta-feira, no Castelão, o time rubro-negro derrotou o Fortaleza, de virada, por 2 a 1 e manteve…

Felipe Melo marca no último lance, e Palmeiras vence a Chape na arena

Um gol de Felipe Melo, aos 54 minutos do segundo tempo, manteve vivo o sonho do Palmeiras de conquistar o título do Campeonato Brasileiro. Depois de muitas chances perdidas no segundo tempo,…