A Paraíba o tempo todo  |

Treze e Campinense cobram pagamentos de convênio de gestão anterior

 As diretorias do Treze e do Campinense Clube enviaram ofício conjunto ao
prefeito Romero Rodrigues solicitando agenda de audiência pública para
discutir os convênios celebrados em 2012, bem como, novas parcerias para
este ano.

De acordo com o documento, os convênios assinados em 2012 pela gestão
passada não foram honrados. “Como é do conhecimento de todos, tais
convênios não foram honrados pela gestão anterior, mesmo tendo os clubes
acima, cumprido suas respectivas obrigações previstas em contrato”,
afirmaram os dirigentes do Treze, Eduardo Medeiros e, do Campinense, José
William Simões.

O documento, datado de 22 de janeiro de 2013, foi recebido pelo prefeito
que o encaminhou para a assessoria determinando o agendamento. Romero vai
analisar os documentos que foram anexados ao ofício para discutir a
situação em reunião com os dirigentes dos Clubes.

O prefeito pretende firmar novos convênios com os Clubes Treze e o
Campinense, consciente da importância dessas parcerias não apenas em prol
do futebol campinense e paraibano, mas também em favor de práticas sociais
e de lazer.

 *Secretário de juventude, esporte e lazer de CG se reúne com presidentes de
Treze e Campinense*

O secretário de Juventude, Esporte e Lazer de Campina Grande, Gustavo
Ribeiro, esteve reunido com os presidentes do Treze e do Campinense. O
principal objetivo do encontro foi discutir o convênio firmado entre as
equipes da cidade e a Prefeitura Municipal, na gestão anterior.

Pelo contrato vigente, Treze e Campinense deveriam receber do poder público
municipal a quantia de 30 mil reais mensal. Em contrapartida, seria
divulgada a marca da prefeitura em camisas, sites e em outros espaços
ocupados pelas equipes. Segundo os dirigentes das agremiações, o repasse do
convênio está com quatro meses de atraso deixados pela administração
passada, o que soma a importância de 120 mil reais para cada equipe.

O Presidente do Treze Futebol Clube, Eduardo Medeiros, afirmou não ter
dúvidas sobre a dívida da prefeitura com o clube: “as pessoas precisam
saber que este contrato assinado entre a prefeitura e o clube é um
documento que tem todo o respaldo jurídico, encerrando desta forma qualquer
discussão”, completou.

Já William Simões, presidente do Campinense Clube, manifestou o mesmo
pensamento sobre o contrato entre o Campinense e a prefeitura, afirmando
que o município deve ao clube, visto que, existe um contrato vigente: “É
inegável o atraso dos quatro meses de convênio, uma dívida que ficou da
gestão passada”, arrematou.

O secretário Gustavo Ribeiro, assegurou aos representantes de Treze e
Campinense, Eduardo Medeiros e William Simões, respectivamente que vai
intermediar o diálogo entre os clubes e o prefeito, encaminhando a Romero
Rodrigues o ofício dos times, na tentativa de encontrar uma saída para este
impasse: “O convênio firmado entre a prefeitura e os clubes não foi feito
pela Sejel, e sim, pela secretaria de desenvolvimento ecônomico. Mas, nada
impede de entrarmos esta luta na busca por uma solução onde vai ganhar o
futebol de Campina Grande”, pontuou o secretário.

 

Ascom

PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe