Por pbagora.com.br

O torcedor do Sport deve sair exausto dos jogos do time, tamanha a participação durante os 90 minutos. E quando é jogo de Taça Libertadores da América…aí a entrega é redobrada. Nesta quarta-feira, contra o Palmeiras, quem foi à Ilha do Retiro não parou um minuto sequer. Logo que os portões se abriram, às 19h, era possível ouvir o ‘Cazá, Cazá’, famoso grito de guerra dos rubro-negros, pelos quatro cantos do estádio.

– Eu venho a todos os jogos do Sport. O Sport pode perder, mas eu não perco um jogo (risos) – disse o administrador de empresas Carlos Cavalcanti.

Na apresentação do time, do goleiro Magrão ao atacante Ciro, todos foram homenageados. Sem esquecer o técnico Nelsinho Baptista, que é ídolo dos leoninos. É uma torcida que joga com a equipe. Bola nos pés de um palmeirense? Vaias, apitos e rói-róis (uma espécie de chocalho barulhento) em ação. Sport no ataque? Ninguém consegue ficar sentado. E assim foi até a marca de 23 minutos do primeiro tempo: Keirrison fez 1 a 0 para o Palmeiras. Por um instante a Ilha silenciou. Só que era hora de incentivar e tentar o empate, mas na etapa inicial não deu.

Veio o intervalo. Na fila do banheiro ou para comprar um churrasquinho, várias rodas de discussão sobre como o time deveria voltar para o segundo tempo. Os palpiteiros queriam que Nelsinho Baptista mudasse.

– Paulo Baier não pode jogador sozinho! – alguém gritou.

 

Parece que o técnico ouviu. Na volta para etapa final, ele lançou Luciano Henrique no lugar de Moacir, e o time ganhou mais organização ofensiva no meio-campo. Vandinho tentou de cabeça, e Marcos defendeu. Paulo Baier deu um chute sensacional, e lá estava o goleiro. Foi o suficiente para a tradicional animação dar lugar ao desespero. Nem Ciro, xodó da torcida, foi poupado.

 

E quando Diego Souza fez 2 a 0, aos 27 minutos do segundo tempo, muita gente se levantou e foi para casa mais cedo. Apesar do resultado ruim, e da perda da invencibilidade na competição continental e na temporada (22 jogos), os jogadores do Sport foram aplaudidos pelos torcedores. O ‘Cazá, Cazá’ foi ouvido mais uma vez, mas não com a mesma força e ânimo.

 

Na próxima semana, haverá um novo encontro entre os dois times pela Libertadores. Será a vez de os torcedores do Alviverde mostrarem a força que têm. Promete!

 

G1

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Morre aos 60 anos jogador Argentino, Diego Maradona vítima de parada cardíaca

Maior jogador da história do futebol argentino, Diego Armando Maradona morreu nesta quarta-feira (25) aos 60 anos. Segundo o jornal argentino “Clarín”, Maradona sofreu uma parada cardiorrespiratória. Diego Armando Maradona…

Flamengo empata com o Racing e volta ao Brasil com vantagem

Racing e Flamengo protagonizaram uma partida tensa, cheia de possibilidades de um placar mais elástico, mas o empate em 1 a 1 no Estádio El Cilindro, em Buenos Aires, deixou…