Acabou a invencibilidade do Santos na Copa Libertadores e também chegou ao fim a trajetória do clube na competição. Na noite desta quarta-feira, o time alvinegro foi derrotado pelo Barcelona, do Equador, por 1 a 0, em plena Vila Belmiro, no jogo de volta das quartas de final.

O Santos estava invicto até então no torneio e tinha uma boa vantagem após ter empatado por 1 a 1, no Equador. Bastava um zero a zero para avançar, mas um vacilo no segundo tempo e uma atuação ruim acabaram com o sonho da equipe de buscar o tetra da Libertadores.

O Barcelona vai jogar contra o Grêmio na semifinal. O time equatoriano, que já foi duas vezes vice-campeão, estará pela nona vez nesta fase do torneio. Vale lembrar que o time de Guayaquil ganhou do Botafogo no Rio de Janeiro, na fase de grupos, e eliminou o Palmeiras, no Allianz Parque, nas oitavas.
As quartas de final devem ocorrer nos dias 24 de outubro e 2 de novembro.

O tento da partida foi aos 22 minutos do segundo tempo. No lance, o lateral Castillo mandou bola para a área na direção de Jonatan Álvez, que desviou de cabeça o suficiente para evitar Vanderlei e marcar o gol do Barcelona.
A finalização que resultou no gol foi a 17ª da equipe na partida. Prova de que sempre buscou o gol.
Pouco tempo depois do gol, o time visitante ainda perdeu um jogador expulso. Álvez, que já tinha recebido amarelo por tirar a camisa na comemoração, acertou o cotovelo no rosto de Alison e recebeu o cartão vermelho, aos 24. De nada adiantou reclamar.

Aos 41 minutos da etapa final cenas lamentáveis. Após uma discussão, o atacante Bruno Henrique cuspiu no rosto de Gabriel Marques. O volante revidou com um tapa no rosto do santista. Ambos foram expulsos. 
Os jogadores do Santos deixaram a Vila Belmiro reclamando do árbitro, do tempo dado de acréscimo, da catimba rival. Mas não conseguiram explicar a eliminação em casa, mesmo tendo a vantagem para empatar sem gols.

Sem Lucas Lima ficou difícil para o Santos. Apesar de ter treinado a semana inteira antes do jogo com Jean Mota, o técnico Levir Culpi surpreendeu ao escalar Leandro Donizete na vaga aberta no meio de campo. O volante deu mais proteção para a defesa, mas o lado ofensivo santista sentiu.
Vecchio, Copete, Bruno Henrique e Ricardo Oliveira até tentaram, mas faltava mais um meia para ajudar na organização das jogadas.
O que se viu foi um time sem tanta velocidade, sem tanta força no ataque e que foi até pior do que o Barcelona. A equipe equatoriana não se intimidou por jogar na Vila Belmiro e foi para cima da equipe da casa, em busca do gol que poderia classificá-la.

Levir Culpi tentou corrigir a falha em sua escalação aos 9 minutos do segundo tempo, quando colocou Jean Mota no lugar de Vecchio.
Já estava difícil. O Barcelona pressionava, acuava e, ao mesmo tempo, protegia-se bem na defesa.

Ao marcar o gol aos 22, o time equatoriano colocou pressão extra nos santistas. Os erros e o nervosismo ficaram bem evidentes nos minutos que se seguiram.
O Santos volta suas atenções para o Campeonato Brasileiro, competição que sobrou em 2017. Terceiro colocado, com 41 pontos, a 12 pontos do líder Corinthians, o time alvinegro enfrentará o Atlético-PR, na Vila Belmiro, em Santos, no próximo sábado.

ESPN

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Divulgada tabela do NBB; Basquete Unifacisa estreia em casa contra o Rio Claro

A Liga Nacional de Basquete (LNB) divulgou, a tabela oficial do primeiro turno do Novo Basquete Brasil (NBB) 2019/20. O Basquete Unifacisa vai estrear contra um velho conhecido, o Rio…