Por pbagora.com.br

 A empresária Rosilene de Araújo Gomes, 69 anos, vai permanecer afastada da Federação Paraibana de Futebol (FPF).

Ontem, um dia antes de completar exatos dois meses de que a juíza Renata Câmara (8ª Vara Cível de João Pessoa) determinou liminarmente o afastamento da dirigente da entidade por irregularidades nas últimas eleições (2010), o desembargador Oswaldo Trigueiro não concedeu o mandado de segurança impetrado pela defesa.

O magistrado, inclusive, arquivou o processo antes mesmo de julgar o mérito e ainda condenou Rosilene a pagar as custas judiciais.

No entendimento de Trigueiro (foto), a defesa pecou na “inadequação da via eleita”. Significa que para o relator, o mandado de segurança não pode ser utilizado como substituto de um recurso em que a defesa discorda.

A reportagem tentou entrar em contato com o advogado George Ramalho Júnior, que patrocina a defesa de Rosilene, mas o jurista não atendeu o telefone.

Essa é a quarta vez que a empresária tentar voltar à presidência da FPF. Nas anteriores, o desembargador Abraham Lincoln negou seguimento aos recursos.

 

EsportesPB