No último domingo, Treze e Campinense se enfrentaram no PV no chamado jogo de uma torcida só e empataram em 1 x 1. Como o Galo era o detentor do mando de campo, apenas a torcida do alvinegro teve acesso ao estádio. No próximo domingo, Clássico dos Maiorais será disputado no estádio O Amigão, só que desta vez, o detentor do mando de campo é a Raposa.
Só que se depender do presidente do Campinense, William Simões, o clássico do próximo domingo (13) pode marcar a volta da tradição perdida nas temporadas de 2012 e 2013.

Em entrevista à Rádio Cariri AM, o mandatário rubro-negro disse que pretende disponibilizar três mil ingressos para os torcedores trezeanos.

– Devo me reunir amanhã (terça-feira) com o presidente do Treze, Eduardo Medeiros, para provocarmos outro encontro com o pessoal do Ministério Público e a Polícia Militar. Dependendo dessa conversa, e se o Treze quiser, nós vamos disponibilizar três mil ingressos para a torcida do rival – avisou o dirigente.

Para convencer as autoridades, William Simões vai precisar de argumentos que derrubem uma recomendação do Ministério Público, que em janeiro passou a proibir a presença de torcida visitante nos jogos envolvendo Botafogo-PB, Campinense e Treze. A diretoria do Raposa reagiu por meio das redes sociais e criticou a decisão de Simões. Muitos torcedores já planejam fazer protestos para que o jogo de domingo também seja de uma torcida apenas como aconteceu no PV no último domingo.

UNIÃO – Rivalidade a parte, os dirigentes de Campinense e Treze se uniram contra Junta Administrativa na FPF. Na primeira entrevista após o afastamento de Rosilene Gomes da Federação Paraibana de Futebol (FPF), o presidente do Campinense, William Simões, tesqueceu a rivalidade histórica entre Galo e Raposa, e disse que os Maiorais não concordam com a Junta Administrativa que assumiu a entidade na última sexta-feira.

No sábado, em nota oficial publicada no site do Treze, o presidente alvinegro Eduardo Medeiros também se posicionou contra os interventores da FPF e declarou não reconhecer o trio formado por Ariano Wanderley (ex-vice de Futebol de Botafogo-PB), João Máximo Malheiros (ex-dirigente do Auto Esporte) e pelo advogado Eduardo Faustino Diniz.

Wiliam Simões e Eduardo Medeiros se posicionaram contrários a Junta.

– É lamentável. Sou totalmente contra essa Junta, arquitetada pelos dirigentes de Botafogo-PB e Auto Esporte, sem a participação das demais equipes. Daí pra onde vai o benefício? Evidentemente que vai para o seu time do coração. Então a gente tem que ter cautela, prudência. Porque é necessário que a gente, a partir de amanhã (hoje) comece a tomar as medidas cabíveis para que o Campeonato Paraibano não possa ser paralisado. Eu e Eduardo vamos nos reunir para discutir possivelmente a inclusão de Campinense e Treze nessa Junta – comentou Simões, em entrevista ao PBEsportes.

PBAgora

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Palmeiras vence Fortaleza e chega à 4ª vitória seguida com Mano Menezes

O Palmeiras segue firme na briga pela liderança do Campeonato Brasileiro. Neste domingo, o time comandado por Mano Menezes visitou o Fortaleza, na Arena Castelão, e voltou para casa com…