Por pbagora.com.br

 Após sofrer duas derrotas consecutivas e não conseguir tirar o time da zona do rebaixamento, Paulo Autuori não é mais treinador do São Paulo. E o clube confirmou um velho conhecido para seguir no comando do time no Campeonato Brasileiro: Muricy Ramalho. A decisão pela demissão do técnico foi tomada em reunião nesta segunda-feira, no Morumbi e confirmada pelo site oficial do clube. O novo treinador já inicia seus trabalhos nesta terça-feira, no CT da Barra Funda.

 

Paulo Autuori estreou diante do Vitória, pela sétima rodada do Brasileirão. Ao todo, comandou a equipe em 17 partidas, com três vitórias, quatro empates e dez derrotas. O aproveitamento do técnico foi de 25,5% dos pontos conquistados, o pior dentre os técnicos que o São Paulo teve na era pós-Muricy.

 

Muricy Ramalho já vai comandar o time na partida contra a Ponte Preta, na quinta-feira, no Estádio do Morumbi. O jogo é um confronto direto na luta contra o rebaixamento, já que a equipe de Campinas aparece na vice-lanterna da competição, com 15 pontos, três a menos que o São Paulo.

 

Segunda passagem de Autuori pelo Morumbi:

 

Paulo Autuori assumiu uma equipe fragilizada pela passagem de Ney Franco. Diversos jogadores criticavam o antigo técnico, e o capitão Rogério Ceni chegou a afirmar que o legado deixado pelo mineiro "era zero". Em meio a protestos e vaias no Morumbi, o grito de "É, Muricy" sempre foi ouvido no estádio. Pressionado pela torcida para escolher um novo treinador, Juvenal Juvêncio optou pelo Campeão Mundial de 2005.

 

Questionado na entrevista coletiva do porquê de sua escolha ser Autuori, o presidente são-paulino respondeu que o São Paulo possuía gestor. "O São Paulo tem gestor. Tem umas pessoas que gostam, outras que não. E o gestor disse que é o Paulo Autuori. Não ao Autuori por quê? A gente tem um grande respeito pela torcida, mas torcida é paixão, administração é razão", afirmou, na ocasião.

 

Paulo Autuori assumiu a equipe na sétima rodada, na10ª posição do Campeonato Brasileiro com 8 pontos. Entretanto, teve péssimo aproveitamento e não resistiu às más atuações da equipe.

 

O que também pesou contra o bom desempenho da equipe de Autuori foi o calendário apertado que precisou enfrentar em sua segunda passagem pelo clube. Assim que assumiu o time, precisou antecipar jogos por conta de uma excursão que o dirigente Adalberto Baptista planejou para o São Paulo no exterior. Lá, fez quatro jogos em oito dias e, sem tempo para preparar o time, sofreu seguidas derrotas. Dias depois, enfrentou uma maratona igual, sendo derrotado nas duas últimas partidas do clube, que custaram seu cargo.

 

Notícias relacionadas

Campinense anuncia a demissão de Ederson Araújo

A derrota para o São Paulo Crystal por 2 a 1 no último domingo foi um golpe duro demais para o técnico do Campinense, Ederson Araújo, suportar. Na tarde desta…