A série invicta do Palmeiras na temporada de 2009 durou nove partidas, até a noite desta terça-feira. No Estádio Casa Blanca, em Quito, o time alviverde não resistiu à força da atual campeã e foi derrotado por 3 a 2 em sua estréia da fase de grupos da Libertadores da América, aumentando o jejum brasileiro contra a LDU na condição de visitante.

Três dias depois de bater o Paulista no Pacaembu e superar um recorde de vitórias consecutivas que durava desde 1920, nos tempos em que ainda levava o nome de Palestra Itália, o clube paulista entra no grupo de representantes nacionais que foram batidos pelos equatorianos nos últimos nove anos da principal competição sul-americana interclubes, em partidas realizadas em Quito.

No período, em seis disputas contra brasileiros, a LDU coleciona cinco vitórias sobre São Paulo (2004), Santos (2004 e 2005), Internacional (2006) e Fluminense (2008) e apenas um empate, contra os mesmos rivais cariocas, ainda na fase de grupos da edição do ano passado. A última vez em que foram batidos por uma equipe nacional foi em 2000, quando caiu diante do Corinthians.

Depois de parar duas vezes em boas defesas de Marcos, os equatorianos abriram o placar aos 23min, aproveitando falha de posicionamento da zaga palmeirense, que deixou Calderón livre para escorar um cruzamento de Manso, pelo lado direito. No entanto, o empate veio cinco minutos mais tarde, quando Willians aproveitou um rebote do goleiro Cevallos, em um chute de Diego Souza da entrada da área.

Antes do fim da primeira etapa, o time de Vanderlei Luxemburgo sofreu novo golpe e foi para os vestiários em desvantagem. Em uma indecisão entre Marcos e Edmílson, Calderón foi mais esperto e só tocou para o gol vazio. Com uma postura mais ofensiva no segundo tempo, com Marquinhos na vaga de Maurício Ramos, o Palmeiras empatou logo com 1min, justamente com Edmílson, aproveitando cruzamento de Cleiton Xavier.

Porém, a reação palmeirense ficou por aí e a equipe ficou atrás no placar pela terceira vez no duelo ainda aos 13min. Um dos remanescentes da conquista inédita do ano passado e destaque na campanha do vice-mundial no Japão, quando foi batido pelo Manchester United na decisão, Manso cobrou falta com precisão e acertou o ângulo de Marcos.

Gols
LDU: Calderón, aos 23min e 34min do 1º tempo e Manso, aos 13min do 2º tempo
Palmeiras: Willians, aos 28min do 1º tempo e Edmílson, a 1min do 2º tempo

Lances bizarros
Atraso da partida por cerca de 15 minutos por conta do excesso de papel atirado pela torcida equatoriana no gramado, o que precisou da intervenção dos funcionários antes do apito inicial

Ponto Forte da LDU
Jogadas ofensivas em velocidade, organizadas pelo meia Manso

Ponto Forte do Palmeiras
Avanços pelo lado esquerdo do ataque, contando com as subidas do lateral-esquerdo Pablo Armero e o apoio de Diego Souza

Ponto Fraco da LDU
Bolas altas na área, jogadas em que o goleiro Cevallos não se entendeu com os zagueiros e possibilitou o segundo gol e as melhores investidas do Palmeiras

Ponto Fraco do Palmeiras
O sistema defensivo encontrou dificuldades para segurar o time mandante e mostrou falhas que não vinham ocorrendo nos últimos jogos, como no lance que originou o segundo gol da LDU, em uma bobeada entre o goleiro Marcos e o zagueiro Edmílson

Personagem do jogo
Manso, da LDU

 

Esquema Tático LDU
3-5-2
Cevallos; Campos, Norberto Araujo e Calle, Reasco, William Araujo, Urrutia (Larrea), Manso e Ambrossi (Diego Calderón); Walter Calderón (Obregón) e Bieler; Técnico: Jorge Fossati

Esquema Tático Palmeiras
3-5-2
Marcos; Maurício Ramos (Marquinhos), Edmilson e Danilo; Fabinho Capixaba (Evandro), Pierre, Cleiton Xavier, Diego Souza e Armero; Willians (Lenny) e Keirrison; Técnico: Vanderlei Luxemburgo

Cartões Amarelos
LDU: Walter Calderón e Larrea
Palmeiras: Armero, Pierre e Maurício Ramos

Árbitro
Wilmar Roldán (Colômbia)

 

Terra

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário