Por pbagora.com.br

Olavo Rodrigues confirma ao PBAgora que é candidato a presidente da FPF e quer moralizar futebol paraibano 

 

Pré-candidato a presidente da Federação Paraibana de Futebol (FPF), o ex-presidente do Treze, desportista e sociólogo Olavo Rodrigues, concedeu entrevista exclusiva ao PB Agora, onde falou de seus planos para estruturar e modernizar o futebol paraibano.

Olavo confirmou que vai disputar a presidência da FPF e para isso, tem conversado com vários dirigentes de clubes paraibanos que tem direito a voto. Ele garantiu que também conversou com os atuais dirigentes da Junta que administra a federação e pediu apoio de todos.
.
– Eu entendo que o futebol da Paraíba precisa ser modificado e está na hora desta modificação. Chegou a hora da mudança – destacou Olavo Rodrigues.

Para o pré-candidato ao cargo de presidente da entidade, apenas quatro pessoas foram os responsáveis por dirigir a FPF, que foi fundada em abril de 1947 e a última eleição realizada foi em 2010. De acordo com Olavo Rodrigues, chegou a hora de tentar transformar o futebol da Paraíba.

– Hoje, a FPF está chamando de Campeonato Paraibano. Mas a Paraíba tem 223 cidades. O que a entidade chama de Campeonato Paraibano é apenas João Pessoa, Campina Grande, Sousa, Cajazeiras e Santa Rita. A Queimadense é de Queimadas, mas joga em Campina Grande. Então, chamamos de um torneio representativo do Estado da Paraíba “ observou.

Ele defende a inclusão no campeonato de clubes de outras cidades, e para isso apresentou a lista de equipes profissionais da Paraíba. “Temos que espalhar o Campeonato para várias cidades da Paraíba, que realmente, a competição ganhe dimensão de estadual” observou. Ele lembrou que hoje existem 31 clubes profissionais na Paraíba mas apenas 10 disputaram o Estadual 2014.

Em busca de ganhar as eleições, Olavo Rodrigues já "buscou um entendimento com os clubes". Sonhando em assumir o comando da entidade mandatária do futebol paraibano Ele revelou que apresentou para algumas equipes do Estado um projeto de "transformação do futebol da Paraíba".

– Nós vamos mostrar que temos condição de com este projeto que chama-se projeto para transformação do futebol da Paraíba, uma nova visão para o futebol paraibano, uma nova Federação Paraibano de Futebol. Com este projeto nós temos 12 propostas detalhadas, definidoras, propostas que vão sem dúvida nenhuma modificar a classe do futebol da Paraíba para que as maiores cidades da Paraíba possam participar verdadeiramente do Campeonato Paraibano – concluiu.

Olavo teve como inspiração um Projeto Lei do Senado (PLS) 253/2012, do Senador Cássio Cunha Lima que disciplina as normas para reeleição de dirigentes de entidades esportivas, determinando um limite máximo de dois mandatos consecutivos de um dirigente esportivo. Aprovado no Senado, o projeto recebeu várias emendas e teve o texto original alterado.

Estrategicamente ele evitou fazer críticas a Junta que atualmente administra a Federação, após a queda de Rosilene Gomes, mas disse que os seus membros não poderiam ter mexido na tabela do Campeonato Paraíba, deixando o Campinense sem jogar por mais de 30 dias.

“Eu disse aos dirigentes que eles não deviam ter mexido na tabela. Foi um crime o que fizeram com o Campinense deixando o clube com mai de 30 dias sem jogar. Um prejuízo para um clube que tem uma folha superior aos R$ 300 mil” disse.

Campeão estadual como dirigente do Galo, em 2000, Olavo ficou marcado no cenário esportivo da Paraíba ao retirar o alvinegro de campo em 99, antes de uma partida contra o Botafogo-PB, no Estádio Almeidão. O jogo seria válido por um torneio seletivo de classificação ao Campeonato Brasileiroda Série C.

Já falando como candidato ele disse que a FPF precisa de um dirigente que realmente defenda os interesses dos seus filiados e não fique apenas "balançando a cabeça" para a CBF. Citou como exemplo, a briga que o Treze travou com a CBF para se manter na Série C do Campeonato Brasileiro. "A presidente da FPF não teve coragem de defender o seu filiado" alfinetou. Olavo Rodrigues é conselheiro vitalício do Treze.

Projeto futebol para todos quer promover a descentralização do Paraibano

Intitulado de “Futebol para todos” o projeto apresentado pelo sociólogo e desportista Olavo Rodrigues, se fundamenta em 12 propostas, e inicialmente, visa promover a descentralização administrativa da Federação, com a criação de duas subsedes, sendo uma em Campina Grande e outra no Sertão da Paraíba. “Com essa providência não necessitará mais os clubes se deslocar à capital, para dá entrada em um simples documento no protocolo da FPF” justificou.

Olavo também pretende se eleito presidente da entidade, estabelecer parcerias entre a Federação, o governo do Estado, as prefeituras e a iniciativa privada, para melhor promoção do Campeonato Paraibano, com atratividade e rentabilidade para os clubes participantes.

O sociólogo também pretende ajustar a Federação às normas que regem o futebol brasileiro e as leis vigentes no país como o Estatuto do Torcedor, do Idoso, Criança e do Adolescente, fazendo desses instrumentos fortes aliados na busca de uma FPF, também, à promoção e inclusão social.

Um dos pontos do projeto, apresentado por Olavo ao PB Agora, visa desenvolver um amplo entendimento com a imprensa para que o futebol paraibano possa se transformar em um instrumento de desenvolvimento econômico e social para todas as cidades participantes dos eventos esportivos.

“Com a concretização dessas propostas, o futebol da Paraíba caminhará em direção a um futuro melhor. É inaceitável que as cidades que têm tradição no futebol, como por exemplo, Esperança, Solânea, Monteiro, Sapé, dentre outras, fique de fora do campeonato promovida pela Federação, por absoluta intransigência por parte da entidade” observou Olavo.

Severino Lopes

PB Agora

Notícias relacionadas

Atlético-PB age rápido e anuncia Pedro Caçapa como novo técnico

Horas depois de anunciar a demissão do técnico Alexandre Lima, a diretoria do Atlético de Cajazeiras agiu rápido e anunciou seu substituto. Trata-se de Pedro Caçapa, técnico de 53 anos,…

Campinense anuncia a demissão de Ederson Araújo

A derrota para o São Paulo Crystal por 2 a 1 no último domingo foi um golpe duro demais para o técnico do Campinense, Ederson Araújo, suportar. Na tarde desta…