A diretoria do Vasco vai entrar nesta quinta-feira com um recurso junto ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) pleiteando a recuperação dos seis pontos perdidos após dois julgamentos no TJD da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj). A expectativa do departamento jurídico cruzmaltino é que ocorra uma nova audiência logo após o carnaval.

 

 

O Vasco perdeu seis pontos na Taça Guanabara, primeiro turno do Campeonato Carioca, porque teria escalado o meia Jéferson de forma irregular na estreia do torneio, contra o Americano, no dia 24. Na última terça-feira, o clube sofreu uma derrota por sete votos a um para que a punição fosse mantida.

 

 

Os responsáveis pela defesa do Vasco vão ser os advogados Mariju Maciel e Oswaldo Sestário. O assessor jurídico do clube, Luiz Américo de Paula Chaves, está apenas auxiliando os dois profissionais na montagem do plano para tentar recuperar os pontos perdidos no julgamento do STJD.

 

O GLOBOESPORTE.COM entrou em contato com Luiz Américo, que preferiu não revela a estratégia do Vasco para conseguir o recurso para a realização de um novo julgamento, desta vez no STJD.

 

 

– Prefiro não falar nada. Estamos finalizando o recurso e vamos protocolar tudo no mais tardar sexta-feira. O Vasco vai buscar os seus direitos – afirmou o advogado.

 

 

O técnico Dorival Júnior ainda acredita na recuperação dos pontos. Segundo ele, a equipe vai se preparar como se fosse participar normalmente das semifinais da competição.

 

 

– Vamos trabalhar considerando que podemos voltar às finais por merecimento. Não podemos abaixar a nossa cabeça. Dentro da Justiça desportiva, a diretoria fará de tudo para voltarmos à disputa – revelou o treinador.

 

 

Exclusão do Vasco do Campeonato Carioca

 

O pleno do TJD vai analisar toda a documentação do processo para julgar a possibilidade de exclusão do Vasco do Campeonato Carioca. Denunciado no artigo 231 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (pleitear, antes de esgotadas todas as instâncias da Justiça Desportiva, perante o Poder Judiciário), o clube deve ser julgado em no máximo dez dias. O presidente do pleno do tribunal da federação, Antônio Vanderlei de Lima, acatou o pedido do relator da audiência da última terça-feira.

globoesporte.com

 

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário