A Paraíba o tempo todo  |

JOGO 413: Campinense e Treze se enfrentam hoje em novo duelo no Estadual

Paixão, rivalidade, emoção e 66 anos de história. Diante de um estádio silencioso, com arquibancadas vazias e sem a presença da torcida, Campinense e Treze entram em campo neste domingo (23), `as 16h para mais um jogo épico que promete ser eletrizante, e mexer com os nervos e coração dos torcedores dos dois clubes. O 413 Clássico dos Maiorais, promete  abrilhantar a 111ª edição do Campeonato Paraibano, e acirrar ainda mais a rivalidade que já atravessa mais de seis décadas.

Na última vez em que se encontraram, a Raposa bateu o Galo por 1 a 0 pelo segundo jogo da final do Campeonato Paraibano de 2020. O placar, no entanto, não foi o bastante para reverter a vantagem do lado alvinegro, que havia vencido por 2 a 0 a primeira partida, e ficou com o título estadual após 9 anos de jejum.

Em campo, estarão as duas maiores rivalidades do Campeonato Paraibano, e  37 títulos estaduais, sendo 21 conquistados pela Raposa contra 16 pelo Galo, o atual campeão paraibano.

A Raposa já está garantida, pelo menos, na fase de repescagem, mas ainda disputa com o Botafogo-PB a segunda vaga no G-2. Para isso, precisará vencer e, chegando aos 12 pontos, terá que torcer por uma derrota do Belo para o Atlético-PB para definir a vaga nos critérios de desempate — primeiro saldo de gols e depois número de gols marcados — quem termina a primeira fase na segunda colocação. Já em caso de empate, a equipe de Ranielle Ribeiro chegará a 10 pontos, sem chance de entrar no G-2 e com a terceira colocação garantida.

Para esse duelo, o técnico do Campinense Ranielle Ribeiro, poderá escalar a força máxima. A principal novidade estará no gol. Trata-se do goleiro Mauro Iguatu, ex-Treze, que foi contratado pela Raposa e estreou no empate contra o Atlético de Cajazeiras. O Campinense ocupa a terceira colocação na tabela com 9 pontos.

A única mudança no time titular deverá ser a entrada de Edinho Corrêa na vaga de Patrick, que saiu de campo lesionado na última partida. Além do meio-campista, Gabriel Pereira, Renatinho, Vitinho e Iago Leite seguem no departamento médico e não jogam contra o Galo, e Juliano está em transição do DM para os campos. Em contrapartida, Ivamar Júnior, que cumpriu suspensão automática contra o Trovão Azul, fica à disposição da comissão técnica para a partida, e Cadu e Marcelinho estão recuperados de lesão.

Em meio à sequência negativa no Treze, o técnico Marcelinho Paraíba cobrou dos atletas e pediu calma à torcida antes do Clássico. O Galo terá poucas mudanças em relação ao time que empatou com a Perilima no meio de semana.

Marcelinho Paraíba terá para o duelo contra o maior rival o retorno dos meio-campistas Birungueta — artilheiro do campeonato — e Emerson, que estavam suspensos no compromisso contra a Águia. O volante Darlan, o meia Igor Martins e o atacante Sonny Anderson estão no DM e não jogam contra a Raposa. O meia Vitor, que volta de lesão, deverá fazer uma reavaliação física minutos antes da partida para saber se terá condições de começar o Clássico dos Maiorais entre os titulares.

Atualmente na quarta colocação da competição com oito pontos, o Treze já está garantido, pelo menos, na fase de repescagem da competição, que coloca o 3º, o 4º, o 5º e o 6º colocados em um cruzamento olímpico, de onde sairão os adversários do 1º e do 2º colocados, que avançam direto para as semifinais

O Clássico dos Maiorais, que encerra a fase classificatória  da atual edição do Paraibano,  vai seguir todos os protocolos de segurança para evitar o contágio do Covid-19. Todos os jogadores, comissão técnica e demais profissionais envolvidos no jogo, serão testados.

Galo e Raposa sempre fazem um duelo acirrado, duro e com emoções. Dos 412 confrontos, o Treze venceu 142 vezes, contra 110 vitórias do Campinense. O Clássico dos Maiorais já terminou empatado 162 vezes. Na artilharia dos Maiorais, a vantagem também é trezeana: até agora, são 503 gols a favor do Alvinegro, contra 452 para o Rubro-Negro.

A rivalidade entre Campinense e Treze pode ser medida em jogos oficiais válidos pelo Campeonato Paraibano. Até o momento, os dois clubes se enfrentaram 233 vezes no Estadual. A vantagem também é do Treze. Ao todo, o Galo venceu 76 partidas, contra 72 triunfos da Raposa. O equilíbrio de Campinense e Treze no Paraibano, se mede no número de empates. Os dois terminaram a partida em igualdade no placar 98 vezes. O Galo marcou 259 gols contra 243 da Raposa.

Glórias e conquistas. No duelo de quem é o maior, o Alvinegro se orgulha de ter mais vitórias que o Rubro-Negro, ser o único campeão paraibano invicto, o clube do estado que foi mais longe na Copa do Brasil. O Campinense, por sua vez, ostenta mais títulos estaduais que o rival, e é o único hexacampeão do estado. A Raposa também é o único clube da Paraíba a conquistar o título da Copa do Nordeste  em 2013, além de ter conquistado um acesso para a Série B do Brasileiro.  O Campinense tem ainda o maior número de vitórias nas decisões estaduais contra o arquirrival.

Severino Lopes
PB Agora

PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe