Por pbagora.com.br

A cinco dias do jogo contra o Corinthians pelas oitavas de final da Taça Libertadores, o futebol do Flamengo está, literalmente, sem comando. A presidente Patrícia Amorim confirmou a demissão do vice de futebol Marcos Braz, do diretor Eduardo Manhães e do treinador Andrade. O novo técnico será conhecido neste sábado. Joel Santana é o preferido, mas, segundo Patrícia Amorim há outros três nomes em jogo. Já para os cargos administrativos, até segunda-feira não há substitutos. As demissões visivelmente não foram bem recebidas pelos jogadores.

 

Ao mesmo tempo em que a presidente falava sobre o novo modelo na entrevista coletiva, os jogadores voltaram do treino. E, sem se importar, iniciaram uma animada batucada no vestiário, atrapalhando o discurso da mandatária. Vagner Love apareceu na porta e falou alto por três vezes.

– É brincadeira. É brincadeira… É brincadeira ou não é, Russo? – disse, apertando a mão do massagista.

Patrícia confirmou que nem todos gostaram das notícias que ela trouxe.

– Aqueles que aprovaram, que possam aproveitar a chance que foi dada. Aqueles que não aprovaram a mudança, que consigam resultados para retribuir aos que contribuíram. Não é falando que se resolve, porque cria-se um constrangimento – afirmou Patrícia.

A entrevista coletiva realizada na tarde desta sexta-feira, no CT Ninho do Urubu, teve um tom confuso. Apesar de dizer que as mudanças ocorreram porque o ambiente estava “insuportável”, a dirigente confirmou o fundo político.

– A saída foi difícil, mas o que importa é a instituição. Entrei com um grupo e preciso dar uma resposta política. E a hora certa é essa, com a classificação. O Flamengo precisa reconquistar a alegria de jogar – disse Patrícia.

 

Para o cargo de gerente de futebol, Patrícia tentou Zico, que não aceitou. Na última terça-feira, o Galinho esteve no Ninho do Urubu para dar apoio a Andrade. Mas seus apelos não foram escutados. Com isso, Leonardo é a segunda opção.

 

– Primeiro pensei no Zico. Não está nos planos dele vir para o Flamengo agora, infelizmente. Mas em qualquer momento que ele quiser, as portas estarão abertas. Falaram no Leonardo. Não veio de mim, achei até engraçado terem comentado, mas achei interessante depois… A saída do Manhães (diretor-executivo de futebol) abre uma vaga. Queremos alguém para este posto com um vice de futebol que faça apenas o elo político com a presidência. A ideia é que os problemas não cheguem até mim – disse Patrícia.

A dirigente aproveitou para debochar de Andrade e Marcos Braz. Os dois tiveram rusgas em 2010, mas almoçaram juntos nesta sexta-feira.

– Marquei às 13h com o Andrade para conversar. Ele apareceu uma hora e meia depois junto com o Marcos Braz. Fiquei surpresa com esse comportamento. Que bom que esse desfecho tenha ajudado a melhorar o relacionamento entre eles – disse, em tom irônico.

 

Antes da ironia, Patrícia disse que todos saem ‘pela porta da frente’, evitando criticar o trabalho do treinador.

 

– Prefiro não falar o que eu acho da conduta dele como técnico, até porque ele tem resultado. Agora não é linha dura. É o resgate do trabalho sério, coeso, com pessoas comprometidas. É isso que traz o resultado positivo. Agora vou ter a chance de implantar essa metodologia de trabalho.

 

G1

Deixe seu Comentário