Por pbagora.com.br

O inglês Lewis Hamilton não deixou escapar a chance de largar na pole com carro pesado e venceu de ponta a ponta a prova noturna do GP de Cingapura neste domingo. O piloto da McLaren já havia conquistado a vitória na Hungria e somou a o seu segundo triunfo nesta temporada.

Na briga pelo título, Jenson Button conseguiu se recuperar e, mesmo largando três lugares atrás de Rubens Barrichello, chegou uma posição à frente do brasileiro, em quinto lugar. O inglês aumentou a diferença para o companheiro de Brawn de 14 para 15 pontos, faltando três corridas para o final da temporada.

Button foi beneficiado pela entrada do Safety Car na 22ª volta, pois aproveitou a oportunidade para fazer a sua primeira parada e ganhou vantagem estratégica sobre o brasileiro. Apesar de ter feito o quinto tempo no treino de classificação, Barrichello perdeu posições devido à troca de câmbio e largou em nono, enquanto o companheiro saiu em 12º.

Logo atrás de Lewis Hamilton, Timo Glock levou a Toyota ao pódio conquistando o segundo lugar. O espanhol Fernando Alonso, da Renault, completou o pódio, enquanto Sebastian Vettel completou a prova em quarto lugar, mesmo após ter sido punido com uma parada nos boxes.

A Ferrari sofreu no circuito de rua de Cingapura e viu o substituto de Felipe Massa, Giancarlo Fisichella, terminar apenas na 13ª posição, penúltima entre os carros que terminaram. Kimi Raikkonen acabou em décimo lugar, após ter largado em 13º.

A corrida

Na largada, Hamilton manteve a ponta e Vettel saiu mal, perdendo posição para Rosberg. Leve, Rubens subiu de nono para para sétimo, e Button também saiu da 12ª para a décima posição. Alonso por pouco não passou os dois carros da Red Bull, mas levou a pior na disputa e caiu um lugar. Nas primeiras voltas, os pilotos foram cautelosos e não houve nenhum incidente.

Logo na terceira volta, a Renault de Romain Grosjean foi para os boxes e não voltou. O francês havia passado mal dias antes da corrida e era dúvida para disputar a prova. Logo depois, Webber teve problemas e perdeu duas posições, caindo para sexto.

Na 14ª volta, a Force India de Liuzzi ultrapassou a Ferrari de Fisichella, mas o italiano retomou a posição na curva seguinte, com direito a toque na roda. Simultaneamente, o carro de Timo Glock soltou uma peça e provocou bandeira amarela.

O primeiro a parar foi Vettel, na 18ª volta. Rosberg foi o próximo, e errou na saída dos boxes. O alemão foi punido com outra parada e saiu da briga pelo pódio. Já Barrichello foi logo em seguida e voltou em décimo lugar.

Na 22ª volta, Sutil rodou na pista e foi atingido por Heidfeld, e os dois acabaram saindo da prova. O Safety Car precisou entrar na pista, antecipando a parada de Jenson Button, que aproveitou a bandeira amarela e voltou dos boxes em oitavo.

Alguersuari foi o último a parar nos boxes da Toro Rosso, e repetiu o episódio da mangueira que prejudicou a corrida de Felipe Massa no ano passado. O espanhol acelerou antes do reabastecimento ser concluído.

O Safety Car ficou quatro voltas na pista e, após a relargada, Rosberg pagou sua punição e Vettel assumiu a vice-liderança, enquanto Barrichello subiu para o quinto lugar. E Button mantinha a sétima colocação. O alemão da Red Bull começou uma perseguição intensa ao líder Hamilton.

Na segunda série de paradas, Vettel voltou a ser o primeiro a fazer o pit stop. Assim como Rosberg, ele errou e passou do limite de velocidade, sendo punido. Assim, Hamilton ficou folgado na ponta e Barrichello ganhou uma posição. E o alemão da Red Bull saiu da briga.

Faltando 16 voltas, outra Red Bull teve problemas. Mark Webber parou na pista e provocou bandeira amarela, tendo início a segunda série de paradas dos pilotos do primeiro pelotão. Depois dos pit stops, Hamilton manteve a ponta, enquanto Button conseguiu voltar à frente de Barrichello.

UOL