A Paraíba o tempo todo  |

Gol de pênalti no fim dá vitória ao Flamengo em Campos

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

Josiel não deu jeito, mas duas mãozinhas salvadoras garantiram a terceira vitória consecutiva do Flamengo na noite desta terça-feira, no estádio Godofredo Cruz, em Campos. Apesar da inaptidão nas finalizações, o Rubro-Negro contou com um pênalti infantil cometido pela zaga do Americano no fim e uma defesa salvadora de Bruno para vencer por 1 a 0, no estádio Godofredo Cruz, em Campos.

O triunfo fora de casa praticamente garantiu a classificação antecipada do Flamengo para as semifinais da Taça Rio. A equipe tem 16 pontos e espera por um tropeço do Botafogo, que ainda joga na rodada e tem dez, para assegurar a vaga antes do clássico de domingo contra o Fluminense. De qualquer forma, a equipe do técnico Cuca tem larga vantagem no saldo de gols e só perde a vaga se ocorrer uma tragédia. Ou seja: mesmo se o Bota vencer os jogos que restam, e o Fla perder o clássico, o Bangu, segundo neste momento com 13 pontos, precisaria golear o Vasco e tirar uma diferença de oito gols no saldo para ultrapassar o Rubro-Negro. (Confira a tabela completa da Taça Rio)

O Americano, que passou a maior parte do tempo se defendendo, continua com oito pontos (5º lugar) no Grupo A, e não tem mais chance de se classificar ou tampouco ser rebaixado.

 

Se nas duas partidas anteriores, Josiel fez cinco gols, dessa vez ele vacilou nas três chances que teve. Mas não foi o único. Os companheiros também exageraram na arte de desperdiçar oportunidades. A torcida campista aproveitou para gritar “Obina”, que está machucado.

Sorte que Anderson, zagueiro do time campista, resolveu dar um tapa na bola e deu a Juan a oportunidade de fazer o gol. No fim, Bruno ainda saltou para fazer linda defesa em cobrança de falta e evitar o empate.

 

Próximos jogos Data Local
Boavista x Americano 5/4/09 (16h) Eucy Resende de Mendonça
Flamengo x Fluminense 5/4/09 (16h) Maracanã

 

 

A torcida do Americano, em menor número no estádio Godofredo Cruz, tentou desestabilizar os jogadores do Flamengo no início do jogo. Primeiro, ofendeu Perlla, a ex-noiva do lateral Léo Moura. Outra tática foi um apito estridente que era soprado quando os visitantes atacavam.

Aos oito minutos, Josiel e Ibson se enrolaram com a bola na pequena área e não conseguiram finalizar. A sobra coube a Kleberson, mas ele bateu para fora. A resposta veio em uma cobrança de escanteio de Ernani, aos 15. A batida pegou efeito e por pouco não surpreendeu o goleiro Bruno.

 

Porém, a impressão de que o primeiro tempo seria de muitas emoções não se confirmou. A chuva forte deixou o campo pesado e os erros se acumularam. Passes equivocados, trombadas e finalizações sem direção. Até o fim da etapa inicial os dois goleiros não fizeram qualquer defesa.

 

Show de gols perdidos

 

O Flamengo mudou a postura nos 45 minutos finais e massacrou o adversário. Aos dois, Willians deixou Everton Silva livre na ponta direita, mas o chute do lateral foi travado. Kleberson fez boa jogada pela ponta esquerda aos cinco e cruzou, mas Josiel acertou o ombro na bola e não conseguiu finalizar.

 

Kiesa, que se declarou torcedor rubro-negro na véspera do jogo, quase complicou a vida do Fla aos seis. Ele recebeu na entrada da área e chutou com perigo, à esquerda da trave de Bruno.

 

Em apenas uma jogada, aos 15 minutos, o Flamengo chutou três vezes. Nenhuma delas chegou ao gol. Três minutos depois, a inabilidade nos arremates ficou ainda mais flagrante. Léo Moura recebeu livre, na entrada da pequena área, e recuou para o goleiro Jefferson.

Quando Ibson encontrou Josiel livre, aos 26 minutos, Élson deu um carrinho e conseguiu evitar a finalização. O artilheiro do Flamengo perdeu outra chance aos 29. Ele recebeu de Erick, dominou e chutou em cima do zagueiro.

 

Futebol se decide… com as mãos!

 

Aos 32, Erick encontrou Ibson na área, e o camisa 7 errou o alvo. Por pouco o ditado “quem não faz, leva” apareceu no Godofredo Cruz. Cafezinho recebeu, chutou, e Bruno fez uma defesa extraordinária.

 

Quando parecia que o empate por 0 a 0 persistiria, as mãos apareceram para salvar o Flamengo. Aos 41 minutos, Maxi entrou na área, e Anderson deu um tapa na bola. Pênalti. Juan bateu no centro do gol e abriu o placar. No último lance do jogo, Gil cobrou falta frontal, aos 46 minutos, e Bruno teve de se esticar para impedir o empate.

 

globoesporte.com

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe