Por pbagora.com.br

Não era um público excelente, mas a torcida do Vasco abraçou a causa. Foram 22.227 as pessoas que empurraram o time para a terceira vitória em quatro jogos. Os jogadores estavam tão inflamados pela paixão da arquibancada que os gols foram no início de cada tempo. Com eles, o Cruz-Maltino fez 2 a 1 no Sport. Quem saiu de casa neste domingo e foi incentivar o time de coração, voltou do Maracanã feliz. O Gigante da Colina deixou a última posição do Brasileiro, que ocupava desde a 18ª rodada.

O Vasco estava decidido. E com um minuto de jogo, no primeiro lande perigo, Durval cortou mal o cruzamento de Madson. Nenê chutou de direta e a bola ainda tocou em Ferrugem antes de entrar. E engana-se quem pensa que o ímpeto vascaíno parou ali. Empolgada, a equipe foi para cima. Depois de uma cobrança de falta, Madson colocou na cabeça de Serginho. A bola tinha o caminho do gol, mas Luan tocou nela e o impedimento foi marcado. Estava anulado o que seria o segundo gol da equipe em menos de dez minutos.

Foi bem aos poucos que o Sport foi se encontrando na partida. Houve chute de fora da área e até um cabeceio de André. O destaque do Leão era Marlone, cria de São Januário, que mostrava vontade contra as vairas de sua ex-torcida. De tanto tentar, os visitantes conseguiram. Aos 39 minutos, o volante Elber apareceu como elemento-surpresa e, sozinho, empatou o jogo.

Assim como no primeiro tempo, o Vasco não demorou a balançar as redes. Aos três minutos, após escanteio, Rafael Vaz testou de forma indefensável para Danilo Fernandes. O Sport, porém, já assustava. André, em cobrança de falta, obrigou Martín Silva a grande defesa, aos sete.

Na reta final do jogo, a tensão era evidente. Até Nenê, com toda a experiência que tem, foi exemplo. O meia perdeu chance dentro da pequena área. Incrível! A torcida ainda sofreu com a pressão pernambucana, mas as chances perdidas por Herrera e Andrezinho assustaram. No final, puderam gritar: "Eu acredito!"

 

 

uol