Por pbagora.com.br

Fazia exatamente dois meses e 11 partidas: na última vez que o Fluminense tinha vencido no Brasileirão, Michael Jackson ainda era vivo, a crise no Senado ainda não tinha sido deflagrada e a gripe suína não era epidemia no país. Mas a vitória por 5 a 1 sobre o Sport, nesta quinta-feira, no Maracanã, pela 17ª rodada, trouxe o Tricolor de volta para o futuro, espantou o jejum e, de quebra, apagou a lanterna nas Laranjeiras.

 

Com grande atuação de Kieza, que marcou duas vezes, e Roni, que fez de pênalti, o Fluminense deixou a última colocação também na tabela de melhores ataques, superando o Cruzeiro: 18 a 15. Carlos Eduardo e Maicon, para o Tricolor, e Vandinho, para o Leão, completaram o placar. O resultado fez com que os cariocas trocassem de lugar com os pernambucanos: estão em 19º, com 14 pontos, enquanto o Sport assumiu a última posição, com 13.

 

Na próxima rodada, o Fluminense pega o Vitória, domingo, às 16h, no Barradão, em Salvador. Já o Sport, que ainda não venceu distante da Ilha do Retiro, mais uma vez joga fora de casa: contra o Internacional, no Beira-Rio, segunda-feira, às 21h.

Em grande noite, Kieza e Roni garantem a vantagem

Sem tempo a perder, o Fluminense dispensou a precaução e se mandou para cima do Sport desde o minuto inicial da partida. De uma forma um tanto desorganizada, é verdade, mas que, se nos 15 minutos iniciais não resultou em lances perigosos, ao menos deixou o adversário acuado e sem oferecer sustos.

Os passes errados impediam a criação de jogadas ofensivas, e apenas Kieza, com chutes sem direção, tinha assustado até os 20, quando o próprio atacante foi premiado pela insistência e abriu o placar. Roni tabelou com Marquinho, arriscou da entrada da área e ficou com o rebote de Magrão. O pisão na bola não impediu que ela sobrasse para Kieza, com o gol vazio, escorar para o fundo da rede.

A desvantagem acendeu o Sport, que timidamente tentou a reação. Aos 23, os pernambucanos concluíram pela primeira vez na partida, com César Lucena. Após cobrança de escanteio, o zagueiro tocou de primeira e assustou Fernando Henrique. Oito minutos depois, o goleiro tricolor foi obrigado a trabalhar: Vandinho recebeu de Élder Granja e bateu forte, rasteiro. FH fez grande defesa.

A necessidade de empatar, entretanto, fez com que o Sport deixasse espaços na defesa, e com dois bons contra-ataques o Fluminense transformou o placar em goleada. Aos 32, Roni recebeu de Conca em velocidade e sem marcação. Na frente de Magrão, ele rolou com açúcar para Kieza dominar e marcar o quarto gol na competição, igualando Fred na artilharia da equipe.

Sete minutos depois, foi a vez de o jovem atacante colaborar com o companheiro. Ele rolou para Roni, que encarou César Lucena e foi derrubado dentro da área: pênalti marcado. A torcida pediu, e o próprio Roni deslocou Magrão para colocar 3 a 0 no placar e fazer o torcedor respirar aliviado pela primeira vez em dois meses.

Sport pressiona, mas Carlos Eduardo e Maicon definem a partida

Com a lanterna nas mãos, o Sport voltou na base do tudo ou nada para o segundo tempo. Marcando a saída de bola, o Leão segurou o Fluminense no campo defesa, mas tropeçou nas próprias pernas. Incansável, Vandinho corria de um lado para o outro, porém, não conseguia espaços para concluir.

Enquanto o Tricolor sequer passava do meio-campo, os pernambucanos giravam a bola de um lado para o outro sem criar nada. Até que, aos 15, Wellington Monteiro colocou a mão na bola após cobrança de escanteio e presenteou o rival com um pênalti, cobrado com eficiência e paradinha por Vandinho.

Quatro minutos depois, Fumagalli recebeu pela esquerda e assustou o torcedor do Fluminense. Com um corte seco para o meio, o meia chutou forte e parou em Fernando Henrique. Aos 21, porém, o Fluminense matou a partida. Em boa jogada de Diogo, um dos melhores em campo, Carlos Eduardo recebeu na entrada da área, dominou com a perna direita e emendou de canhota. Um golaço, e 4 a 1 no placar.

A vantagem fez com que o Fluminense recuasse novamente e apenas administrasse o placar diante de um Sport desesperado e desorganizado. Sem se expor no ataque e seguro na defesa, o Tricolor viu ainda Renato Gaúcho trocar a dupla Kieza e Roni, muito aplaudida pelos 12.281 torcedores presentes, por Alan e Maicon, que aproveitou grande jogada de Conca e encerrou o placar com um toque de calcanhar, aos 45.
 

globoesporte.com