A Paraíba o tempo todo  |

Flu empata no fim com Boavista e garante invencibilidade

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

A garotada do Fluminense mostrou vontade até o final da partida e arrancou o empate em 2 a 2 com o Boavista, aos 44 minutos do segundo tempo, na tarde desta quinta-feira, no Maracanã. O grande destaque do jovem time tricolor foi Tartá, autor dos dois gols do time tricolor. O resultado manteve o Fluminense invicto na Taça Rio, com seis vitórias e um empate.

Na próxima rodada, o Fluminense terá o clássico contra o Flamengo, domingo, às 16h, no Maracanã. No mesmo dia e no mesmo horário, o Boavista recebe o Americano no estádio Eucyr Rezende, em Saquarema.

Mesmo com um time formado basicamente por jogadores reservas e jovens revelações, o Fluminense começou melhor que o Boavista na partida. O zagueiro Cássio sentiu-se mal na concentração e foi substituído por Dalton. A falta de entrosamento não pesou muito e a troca de passes rápidos, com viradas de jogo, foi a tônica do time tricolor nos primeiros 45 minutos.

A primeira finalização perigosa do Fluminense aconteceu aos 11 minutos. Marquinho cobrou falta pela esquerda de ataque e Roger cabeceou para a defesa do goleiro Vinicius. O time tricolor continuou dominando as ações e, aos 20 minutos, abriu o placar. Roger sofreu pênalti que o árbitro não marcou. A bola sobrou na intermediária com Tartá. Ele dominou, avançou e soltou a bomba, acertando o ângulo esquerdo de Vinicius. Um golaço.

Foi a primeira vez que o Fluminense saiu na frente no placar. E esta vantagem fez mal para o time dentro de campo. O Tricolor recuou um pouco e o Boavista passou a assustar o goleiro Fernando Henrique. Até que aos 39 minutos o time de Saquarema chegou ao gol de empate. Roberto Santos avançou pela direita e tocou para o meio da área. Tony chutou forte e empatou o jogo. E o 1 a 1 foi o placar da primeira etapa.

O Fluminense voltou para o segundo tempo com Romeu na vaga de Maurício no meio-de-campo. E o nível da atuação se manteve. Aos sete, Roger chutou forte e quase desempatou, mas Vinicius fez boa defesa. Três minutos depois foi a vez do Boavista assustar Fernando Henrique. Roberto Santos recebeu livre de marcação e entrou na área. Ele cruzou para traz e Tony girou em cima da defesa e chutou no canto direito. O goleiro tricolor voou na bola e fez excelente defesa, salvando o time tricolor.

Aos 11 minutos, um lance polêmico na defesa do Fluminense. O zagueiro Digão fez falta na entrada da área e o árbitro João Carlos Arruda mostrou o cartão amarelo e logo em seguida o vermelho, expulsando o jogador tricolor. Mas Digão ainda não tinha recebido outro amarelo e saiu de campo sem reclamar, causando estranheza.

Com um jogador a mais em campo, o Boavista cresceu na partida e passou a pressionar o Fluminense. E o gol da virada era questão de tempo. Ele aconteceu aos 32 minutos. Bruno Moreno lançou Paulo Rodrigues pela esquerda. Ele entrou na área e cruzou rasteiro, para Fernando Henrique rebater. A bola sobrou para Leandro Cruz, que chutou forte para virar a partida.

O Fluminense não desistiu da partida e, com Alan no lugar de Roger, foi buscar o gol de empate. Pressionando até o final, o gola aconteceu aos 44 minutos. Marquinho chutou cruzado pela direita e Tartá, quase em cima da linha, tocou para o gol vazio, dando números finais no placar: 2 a 2 e invencibilidade mantida na Taça Rio.

 

Globoesporte.com

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe