A Paraíba o tempo todo  |

Flamengo vence o Palmeiras, sobe na tabela e embola briga pela liderança

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

A significativa 31ª rodada do Campeonato Brasileiro foi território de um duelo franco entre Flamengo e Palmeiras, aspirantes ao título, nesta quinta-feira. O palco foi o Estádio Mané Garrincha, com mando rubro-negro, uma vez que o Maracanã está reservado para a final da Libertadores, onde o Verdão atuará, inclusive. E deu o Fla por 2 a 0, através das marcas de Luan (contra) e Pepê, um protagonista improvável, com um gol em cada etapa.

A vitória faz que com o time de Rogério Ceni pule para a terceira colocação, ultrapasse o Atlético-MG e fique a quatro pontos do Internacional, o líder. O de Abel Ferreira estaciona na quinta posição, com 51 pontos.

O Palmeiras iniciou o jogo explanando a sua estratégia antes mesmos de cinco minutos: reatividade e bola longa para explorar as costas da zaga rubro-negra, que contou com Willian Arão improvisado. Willian perdeu um gol na pequena área, após cruzamento de Viña.

Passado o alívio para os mandantes, o Flamengo pôs a bola no chão e, com uma movimentação fluida, criou espaços de pé em pé e encurralou os visitantes – até com certa naturalidade. Gabigol desperdiçou duas oportunidades cristalinas. Arrascaeta, inclusive de bicicleta, também se viu com chances na área. A pressão, contudo, se manteve.

E o Flamengo foi coroado ainda no primeiro tempo, quando, nos acréscimos, ganhou um presente invejável. Superior em todos os aspectos, o Rubro-Negro recuperou uma bola no ataque, tabelou e forçou um erro dos zagueiros palmeirenses. No desespero para afastar o perigo, Kuscevic chutou a bola no corpo de Luan, o último destino da bola antes de ir à rede: 1 a 0.

VERDÃO, ENFIM, ACORDOU

Em desvantagem, o Palmeiras precisava de um “choque” no vestiário para equilibrar as ações. Para o time de Abel Ferreira, o jogo pedia mais arrojo com a bola nos pés – já que, efetivamente, apenas Danilo teve êxito na etapa inicial. Luiz Adriano, por exemplo, não foi abastecido e estava apagado.

O Verdão passou a ter mais posse, inclusive no campo de ataque – o que não vinha ocorrendo. Menino chegou a desperdiçar uma chance com a bola na marca da cal, sem marcação, no início do segundo tempo.

ENTROU EM MARCHA LENTA

Para a última fatia do jogo, os treinadores promoveram diversas alterações. A intensidade, de ambos os lados, deixou de ser uma tônica. Erros de passe nas respectivas intermediárias passaram a comprometer a criatividade dos times, e o embate entrou em marcha lenta. Eis que uma cria do Ninho do Urubu decidiu.

UM PROTAGONISTA IMPROVÁVEL

Quando o jogo se caminhava para os dez minutos finais, o Flamengo sacramentou a vitória na bola parada. E o autor do segundo gol veio do banco e pode ser considerado um protagonista improvável: Pepê, cujo vínculo expiraria em dezembro e, graças ao pedido de Ceni, renovou até o fim do Brasileiro. O meia acertou um lindo chute após Pedro ajeitar a bola, oriunda de uma cobrança de escanteio. Um belo gol para dar números finais.

Os próximos compromissos de Flamengo e Palmeiras serão contra Athletico-PR e Ceará, respectivamente, ambos fora de casa e às 16h deste domingo.

Lance

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      27
      Compartilhe