Por pbagora.com.br

O clássico foi emocionante no Maracanã. O Flamengo abriu 3 a 0 sobre o Fluminense com o futebol envolvente do ano passado, viu o arquirrival marcar duas vezes, mas se segurou e garantiu vaga na final da Taça Guanabara, o primeiro turno do Campeonato Carioca, com uma vitória por 3 a 2. O adversário da decisão no dia 22 de fevereiro será conhecido no domingo, quando Boavista e Volta Redonda se enfrentam em Bacaxá.

A vantagem do empate do Fluminense foi pulverizada pelo Flamengo com apenas dois minutos. Arrascaeta cobrou escanteio curto para Filipe Luís, que devolveu. O uruguaio levantou na área, Muriel saiu mal e Bruno Henrique tocou de cabeça. A bola ainda bateu no travessão antes de entrar.

O gol cedo não diminuiu o ímpeto do Flamengo. A equipe de Jorge Jesus seguiu com uma marcação pressionada como fez durante todo o ano passado, forçando os erros do Fluminense. E foi assim que Gabriel ampliou. Aos 8 minutos, Wellington Silva deu um passe para trás, Henrique deixou passar e o atacante aproveitou para avançar, entrar na área e tocar na saída de Muriel.
O Fluminense tentava se encontrar em campo, mas o Flamengo não dava espaço. A equipe de Odair Hellmann até melhorou um pouco depois da parada técnica para hidratação, aos 25 minutos. Mesmo assim não era suficiente para levar real perigo ao gol de Diego Alves. A única defesa do goleiro foi em uma cabeçada fácil de Evanilson.

O futebol ensina que não é permitido falhar. Evanilson perdeu uma chance de diminuir no primeiro minuto do segundo tempo e, aos 4, o Flamengo ampliou. Gabriel recebeu de Bruno Henrique na área e tocou de letra para Filipe Luís, que acertou um belo chute, no canto de Muriel. Foi o primeiro gol do lateral-esquerdo pelo clube.

Apesar de inferior ao rival e com enorme desvantagem no placar, o Fluminense aproveitou uma falta para diminuir, aos 15 minutos, e colocar emoção no jogo. Em jogada ensaiada pelo lado direito, Nenê colocou bola na área, Yuri tocou de cabeça e Luccas Claro, também em uma cabeçada da marca do pênalti, superou Diego Alves.

O segundo gol do Fluminense saiu aos 24 minutos. Pacheco foi lançado pela direita, saiu da bola e ela sobrou para Gilberto. O lateral-direito cruzou e, após confusão, Evanilson finalizou para marcar. O lance passou por revisão do árbitro de vídeo e foi confirmado.
O VAR foi acionado em mais três lances do Fluminense. Aos 38 minutos, Pacheco marcou, mas estava impedido. Pouco depois, outra vez o peruano reclamou de um pênalti de Gustavo Henrique. Foi apontada posição irregular. Por fim, aos 54, Caio Paulista marcou, mas o gol foi anulado por impedimento.

Corinthians –  O Corinthians está eliminado da Copa Libertadores. Com um a menos desde os 28 minutos do primeiro tempo, o time até fez um bom jogo nesta quarta-feira, venceu o Guaraní por 2 a 1, na arena em Itaquera, mas o resultado não foi suficiente para garantir vaga à terceira fase preliminar do torneio. Como perdeu por 1 a 0 a partida de ida, deu adeus por ter levado um gol em casa.

Pedrinho, a principal novidade na equipe, estreando com a camisa 10 alvinegra, se mostrou nervoso em campo, e levou o vermelho na etapa inicial. O Corinthians já vencia por 1 a 0, gol de Luan, e não sentiu a expulsão. Fez logo o segundo com Boselli. O gol do Guaraní veio na etapa final. Aí faltou força ofensiva para o time da casa buscar o terceiro. A queda precoce repete 2015, quando o Corinthians deu adeus à Libertadores justamente diante do time paraguaio.

Apesar da boa apresentação, a pressão sob o técnico Tiago Nunes aumenta. E no sábado tem clássico com o São Paulo, às 19h, no estádio do Morumbi, pelo Paulistão. Na diretoria corintiana ninguém ainda cogita ainda a demissão do treinador. O Guarani segue na competição e enfrentará o Palestino, do Chile, que goleou o Cerro Largo, do Uruguai, por 5 a 1.
Nesta quarta, Tiago Nunes mudou o ataque e iniciou a partida com Pedrinho, Boselli, Vagner Love e Luan. O time começou nervoso, mas pressionando o adversário. O primeiro gol saiu logo aos 9 minutos. Luan recebeu na direita, cortou para o meio e bateu de perna esquerda: 1 a 0.

Preocupado em garantir a classificação no tempo regulamentar, o Corinthians seguiu com a marcação alta e deu espaço para o adversário contra-atacar. Cássio espalmou uma bola fácil e Redes, livre, isolou. Pedrinho, que fez o primeiro jogo com a camisa 10, se mostrou nervoso demais e sem ritmo. Cometeu duas faltas bobas, a segunda por jogo perigoso ao arriscar uma bicicleta fora da área, e foi expulso aos 28 minutos.

Mas não deu tempo nem para começar o drama. Três minutos depois, Vagner Love fez boa jogada pela esquerda e rolou na medida para Boselli escorar para as redes. O gol não tranquilizou a equipe, que seguiu reclamando muito com o árbitro Néstor Pitana. Pedrinho, Cantillo e Camacho tinham recebido cartões pelo lado corintiano e ninguém do Guarani ainda tinha amarelo.
Fagner ainda acertou uma bola no travessão em cobrança de falta e Vagner Love cabeceou à queima-roupa para grande defesa de Sérvio. O único cartão para o Guaraní na etapa inicial veio nos acréscimos para Báez, que já poderia ter recebido advertência em lance anterior.

O Guaraní mexeu na volta do intervalo e passou a atacar o Corinthians. Aos sete, Gil cometeu falta próxima da área. Fernando Fernández bateu, Cássio pulou atrasado e o time paraguaio diminuiu. O resultado agora garantia os visitantes na próxima fase. Luan quase marcou o terceiro em cobrança de falta, mas a bola bateu na rede pelo lado de fora.

O Corinthians buscava o ataque pelas laterais do campo. Lucas Piton entrou na vaga de Sidcley, ainda fora de forma. Gustavo substituiu Vagner Love. O time insistia na bola na área, mas estava complicado. Nos minutos finais, o Guarani perdeu Romaña, expulso. Mas o terceiro gol não veio.

Terra com Istoé

Deixe seu Comentário