Por pbagora.com.br

 Pela oitava vez no ano Flamengo e Vasco ficarão frente a frente, neste domingo, às 16h (de Brasília), no Maracanã, em duelo válido pela 28ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com tantos encontros é natural que a rivalidade esteja à flor da pele. Principalmente porque os vascaínos estão levando a melhor após eliminarem o rival nas semifinais do Campeonato Carioca e nas oitavas de final da Copa do Brasil. Além disso, ganharam por 1 a 0 no primeiro turno. No total o Cruz-Maltino venceu três vezes, o Flamengo duas e os outros dois encontros terminaram empatados.

 

Esse histórico recente acaba mexendo com os torcedores, mas é deixado de lado de fora dos gramados pelos jogadores. “Quando a bola começa a rolar, os jogadores não ficam pensando no que aconteceu nos jogos anteriores, na posição na tabela de classificação e no histórico do confronto. O foco está sempre em como conseguir encontrar uma maneira de vencer a partida. Vasco e Flamengo precisam da vitória com urgência para atingirem seus respectivos objetivos e por isso mesmo estão concentrados no que está por vir”, disse o volante argentino Héctor Canteros, do Flamengo.

 

As duas equipes realmente precisam muito da vitória. Fazendo boa campanha no returno, o Rubro-Negro perdeu os últimos dois jogos, sendo o mais recente de goleada, 4 a 1 para o Atlético-MG. Com 41 pontos, tem de pontuar para voltar a falar em G4, a zona de classificação para a Copa Libertadores.

A briga do Vasco é bem mais modesta. Isso porque o time está na penúltima posição com vinte pontos e quer apenas se manter na elite do futebol nacional. No Brasileirão não perde há quatro partidas, incluindo os 2 a 1 aplicados no Sport, no domingo passado. Porém, no meio de semana o time sofreu um baque com a derrota de 3 a 0 para o São Paulo, que praticamente sacramentou a eliminação na Copa do Brasil. Os vascaínos garantem que o tropeço não vai abater o grupo.

“O Vasco possui um elenco maduro, equilibrado, com jogadores habituados a conviver com a pressão. Justamente por conta disso acredito que não vamos levar nada de negativo para o jogo contra o Flamengo. Pelo Campeonato Brasileiro a nossa sequência de resultados tem sido boa e estamos conseguindo subir na tabela de classificação. Portanto, não podemos ficar abatidos, pois temos ainda objetivos importantes para lutarmos e conquistarmos nesta temporada”, disse o lateral direito Madson.

A reação recente do Vasco no Campeonato Brasileiro tem ligado o sinal de alerta no Flamengo. Principalmente porque a partida é tratada como estratégica no Ninho do Urubu, devido a necessidade de triunfo.

“O importante no Campeonato Brasileiro, por ser uma competição muito longa, é você pensar jogo a jogo e ter uma regularidade de time que briga na parte de cima da tabela de classificação. O nosso returno tem sido muito proveitoso e por isso mesmo podemos pensar ainda grande dentro da competição. Esse jogo contra o Vasco acaba tendo uma importância estratégica, pois estamos vindo de dois resultados ruins e ganhar um clássico sempre aumenta o moral e muda o ambiente”, analisou o lateral direito Pará.

Em termos de escalação, os dois times são um mistério. Isso porque os treinadores fecharam os treinos e não deram pistas da escalação. O zagueiro Wallace e o atacante Emerson Sheik, recuperados de estiramento na coxa, devem reaparecer nas vagas de Marcelo e Marcelo Cirino, respectivamente. Outro que reaparece, após ser desfalque contra o Atlético-MG por conta de indisposição estomacal, é o lateral esquerdo Jorge, que ocupará a vaga do meia Éverton, que recebeu o terceiro cartão amarelo contra o Galo, quando atuou de forma improvisada na lateral.

Pelo lado do Vasco o técnico Jorginho não poderá contar com o volante Serginho, suspenso por acúmulo de cartões amarelos. O argentino Pablo Guiñazu é o mais cotado para substitui-lo. O atacante Leandrão, desfalque no meio de semana por já ter defendido o Brasil-RS na Copa do Brasil, volta na vaga de Herrera. O atacante Jorge Henrique, se recuperando de lesão na coxa direita, é dúvida e pode disputar posição com Andrezinho.

 

Gazetapress