Por pbagora.com.br

 Tão logo Mano Menezes comunicou seu pedido de demissão, o diretor executivo de futebol do Flamengo, Paulo Pelaipe, assumiu o microfone do auditório do Maracanã para se posicionar no caso. "Fomos surpreendidos. Agora, me reunirei com a diretoria para estudar as melhores opções", disse. E assim foi feito. Logo que deixou o estádio após a derrota para o Atlético-PR na quinta, o cartola se encontrou com o vice de futebol, Wallim Vasconcellos, e o presidente Eduardo Bandeira de Mello para tratar do futuro.

E nas primeiras conversas, os membros da alta cúpula definiram: querem conversar com Abel Braga. Paulo Pelaipe escutou, mas alertou para o alto custo do salário do ex-comandante do Fluminense e para a dificuldade das negociações. Wallim e Bandeira concordaram, mas não desistiram: Abel é prioridade neste momento.

Na sequência, outro nome foi sugerido como plano B: Celso Roth. O técnico é considerado opção por ter um perfil que o Flamengo precisa e ser acostumado com trabalhos de curto e médio prazo para livrar o time de um possível rebaixamento até o fim do ano.

Roth é parceiro de Pelaipe da época que ambos trabalharam juntos no Grêmio e tem em seu empresário, Jorge Machado, um grande amigo do executivo rubro-negro. Até o início da manhã desta sexta-feira, porém, ele não havia sido contatado.

A expectativa é que a diretoria converse antes com Carlos Leite, empresário de Abel Braga. Em caso de dificuldades nas tratativas e uma consequente negativa, Jorge Machado, representante de Roth, seria procurado.

Para a próxima partida, Jayme de Almeida será o técnico. Mesmo com um desfecho positivo em alguma das negociações por um novo treinador, o auxiliar comandará o Rubro-negro no duelo contra o Náutico, na Arena Pernambuco, pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro.

A derrota por 4 a 2 para o Atlético-PR, na noite desta quinta-feira, derrubou Mano Menezes do cargo de técnico do Flamengo. O ex-comandante da seleção brasileira surpreendeu e decidiu abandonar o clube com o argumento de que não havia conseguido passar o que pensa para o grupo de jogadores pouco depois de completar três meses na Gávea. O pedido de demissão foi feito ainda no Maracanã. O Flamengo chegou a fazer 2 a 0 em apenas sete minutos de partida, mas levou a virada.



UOL