Por pbagora.com.br

 Em um momento interno bastante conturbado desde o final do ano passado, agravado após a eliminação precoce na Série D e a consequente renúncia do presidente Bebeto Silva, o Treze vive a expectativa de uma nova eleição.

 

Pelos acontecimentos recentes nos bastidores do Estádio Presidente Vargas, um dos nomes que é ventilado para assumir o comando do Galo da Borborema é o de Fábio Azevedo, presidente que levou o alvinegro ao último título estadual, no Paraibano 2011.

 

O ex-mandatário alvinegro esteve representando o Treze ontem, em Natal, no sorteio da Copa do Nordeste 2016, uma vez que o Galo foi um dos fundadores da Liga do Nordeste. No evento, em entrevista ao Voz da Torcida, o ex-presidente falou do que acha da situação atual do clube de Campina Grande.

 

– A situação do Treze é delicada. A gente está tentando diagnosticar o problema para tentar resolver. Não quero ser melhor que ninguém nem ser o médico do Treze – explicou.

 

Apesar de ainda ter muita força internamente no clube, Fábio, que vez por outra tem sua volta à presidência do Galo especulada, tratou de desmentir o interesse no cargo, e justificou a decisão.

 

– Quero deixar claro que não sou candidato a presidente. E não serei presidente do Treze por questões familiares – disse.

 

Mas não é por estar fora da disputa pelo cargo maior no Galo que ele ficará de fora da eleição. O ex-mandatário garante que, junto com seus aliados, está analisando a melhor maneira do grupo participar do pleito, que deve acontecer até o início de novembro.

 

– Eu e o nosso grupo de diretores, que foram meus diretores e amigos que ajudaram, estamos analisando a situação para ajudar, porque o Treze é um grande clube e tem que voltar a ocupar esse espaço – finalizou.

 

Atualmente, o Treze é comandado interinamente por Robson Régis, o Boba, presidente do Conselho Deliberativo do clube.

 

Paraiba Online