Aos 37 anos, o atacante Fábio Junior está de volta aos gramados. O jogador que foi destaque do Campinense há cerca de 10 anos, havia abandonado a carreira devido a um trauma no Egito, e sete anos depois, tentará retomar a carreira no futebol paraibano.

Com passagem pelo time B do Real Madri, Flamengo e Vasco, Fábio Junior foi uma das surpresas anunciadas pela diretoria da Raposa para a temporada 2020. A história de Fábio Junior reúne alegrias, conquistas, tristezas e um trauma que marcou para sempre a sua vida.

O fatídico dia que o jogador gostaria de esquecer foi o dia 1º de fevereiro de 2012. Atuando pelo Al Ahly, o atacante viu uma invasão de torcedores no gramado, após a derrota por 3 a 1 para o Al Masry, no Campeonato Egípcio. No confronto, 74 pessoas foram mortas e cerca de 250 ficaram feridas.

A confusão foi causada devido a queda do ex-presidente do país, Hosni Mubarak, que havia deixado o cargo no ano anterior. Em meio aos atos selvagens de torcedores insanescidos, jogador conseguiu correr para o vestiário, onde ficou trancado por aproximadamente seis horas e só saiu depois da chegada do exército.

O ato brutal e selvagem deixou Fábio Junior emocionalmente abalado. O jogador decidiu então, abandonar os gramados e se refugiar na pacata cidade  Nossa Senhora Glória, no interior de Sergipe.
Fábio Júnior se transferiu para o Al Ahly em junho de 2011, levado pelo treinador português Manuel José, com quem chegou a trabalhar em um clube de Portugal.

Ao assinar contrato com o Campinense, ele confessou que precisava dar um tempo na carreira para se dedicar mais a família. Estava viajando demais. Depois do acontecimento no Egito, ficou traumatizado.

Após se profissionalizar no Americano-MA, Fábio Júnior chegou a ter uma passagem pelo Real Madrid B, em 2003. Depois da experiência na Espanha, o jogador passou por clubes como Internacional, Ceará e Sport. Até viver um dos grandes momentos da sua carreira, desta vez no Rio de Janeiro, vestindo as camisas de dois grandes times do Brasil: o Flamengo, em 2005 (esteve relacionado para cinco jogos do Brasileirão), e o Vasco, no ano seguinte (fez 12 jogos e balançou as redes duas vezes).

– Foi uma experiência muito grande. Principalmente no Flamengo, por ser flamenguista. Foi um sonho. O Vasco também foi uma experiência muito grande para o meu currículo. Tenho momentos bons no Flamengo, pois entrava bem em campo. No Vasco entrei contra a Ponte Preta (na 21ª rodada do Brasileirão) e marquei um gol – relembrou

No futebol paraibano, o jogador apareceu no próprio Campinense em 2005. Em 2009 chegou a disputar, inclusive, a Série B do Brasileiro pelo próprio time de Campina Grande depois de rodar por alguns clubes.

Em 2020, o sergipano espera dar a volta por cima. Retorna ao futebol pelo Campinense, onde já teve duas passagens: 2005 e 2008/2009. Na Raposa, agora sob o comando de Oliveira Canindé, ele espera retomar os momentos felizes dentro de campo, e ajudar o rubro-negro a conquistar o título do Campeonato Paraibano, bem como, o acesso para a Série C do Brasileiro de 2021.

Severino Lopes
PB Agora

Deixe seu Comentário