Por pbagora.com.br

A Federação Internacional de Automobilismo (FIA) resolveu não mexer no resultado do GP da Alemanha e aplicará uma multa de US$ 100 mil à Ferrari. Após a ultrapassagem polêmica de Fernando Alonso em Felipe Massa, a escuderia foi chamada a dar explicações, e o resultado da conversa com os comissários foi em punir economicamente o time, segundo a rádio Jovem Pan. O brasileiro afirmou que deixou o rival passar.

Com a decisão, é a equipe que arca com as consequências do incidente e não seus pilotos. Além da multa, o caso será estudado no Conselho Mundial. A Ferrari quebrou a regra 39.1 do regulamento da FIA, que afirma que “ordens de times que interfiram no resultado de uma corrida são proibidas”.

Após a prova, Felipe Massa foi questionado se havia sido uma decisão sua deixar Alonso passar. E confirmou: "Foi, senão não teria me passado", afirmou ele, segundo o Tazio.

Massa liderava a prova em Hockenheim, quando na 48ª volta foi avisado por rádio, pausada e enfaticamente, de que Alonso estaria mais rápido. Na volta seguinte, o espanhol ultrapassou o brasileiro sem dificuldades e a telemetria ainda mostrou que a aceleração do carro de Massa não era máxima, como seria de esperar após uma curva.

Na coletiva oficial dos pilotos, realizada logo após a cerimônia do pódio, Massa chegou a rir quando questionado sobre o assunto: "acho que não preciso dizer nada", comentou ele, que defendeu o lado profissional da disputa.

"Tomei a decisão para o melhor da equipe. É lógico que não é a primeira vez que isso acontece e, com certeza, para a equipe os pontos valerão bastante. Não posso falar que estou feliz da vida, porque, para mim, a felicidade é a vitória. Não corro aqui para chegar em segundo. Então é pensar para frente e na vitória", disse o brasileiro.

"O que eu penso é que em 2007 eu ajudei meu companheiro [Kimi Raikkonen] a ser campeão do mundo e em 2008 ele me ajudou. Infelizmente não foi possível o título por outros motivos, então trabalhei para a equipe. Em 2008 eles trabalharam para mim. Os pontos são o que mais conta nesse momento. Minha decisão foi pensando nisso", completou, segundo o Tazio.

Alonso diz que rival estava lento; diretor nega ordem
Entre os outros envolvidos, Fernando Alonso e a chefia da Ferrari, o discurso foi de que Felipe Massa perdeu rendimento na parte final do GP, o que teria motivado o espanhol a realizar a ultrapassagem.

“Nós brigávamos muito proximamente e eu estava achando isso um risco”, explicou o piloto, sobre a comunicação com a Ferrari. Em certo momento da prova, com grande disputa entre eles, ele chegou a dizer apenas: “isso é ridículo”.

“Massa estava bem mais lento e consegui ultrapassar na curva. Como Felipe disse, trabalhamos para empresas, para times, e algumas vezes no ano vimos acidentes entre companheiros de time. Hoje a Ferrari colocou 42 pontos no bolso. Isso é o que importa aqui”, completou
 

 

O diretor de comunicações Luca Colajanni negou qualquer jogo de equipe. “Não demos instrução alguma. Eu não acho que nada tenha sido feito de forma errado ou que tenhamos quebrado o regulamento”, disse ele, à BCC.

“Fernando estava ligeiramente mais rápido naquele momento, e nós apenas informamos os pilotos”, completou.

Pelo lado das rivais, a Red Bull foi quem partiu para o ataque. O time chegou pressionado pela disputa interna de Vettel e Webber, mas passou a boa aos rivais.

"Foi provavelmente a ordem de equipe mais clara que eu já vi, especialmente quando você tem o time se desculpando com o piloto", disse Horner, à BBC.

A 12ª etapa da Fórmula 1 acontece já no próximo domingo e é a última antes da pausa da categoria por três semanas, durante o verão europeu. Os pilotos disputarão o GP da Hungria, no circuito de Hungaroring
 

 

 

UOL