Por pbagora.com.br

A volta de Felipe Massa à Hungria, pouco mais de um ano depois do acidente que o afastou de boa parte da temporada de 2009, ficou em segundo plano nesta quinta-feira (29).

Escalado para a coletiva oficial para o GP da Hungria, que terá seus primeiros treinos livres nesta sexta-feira (30), o brasileiro voltou a ser questionado por ter aberto passagem para Fernando Alonso vencer o GP da Alemanha, em Hockenheim, mas reafirmou que não se sente o segundo piloto da Ferrari.

A manobra resultou em multa e ainda será julgada pelo Conselho Mundial da FIA (Federação Internacional de Automobilismo) – a Ferrari e os dois pilotos correm risco de desclassificação. Mas Massa disse que não pretende repeti-la.

– No dia em que eu disser que sou o segundo piloto, não vou correr mais. Já disse que não estou aqui para correr, e sim para vencer.

Massa disse ter recebido dos dirigentes da Ferrari a garantia de que poderá correr para vencer, e que a situação de dar espaço para seu companheiro de equipe não vai se repetir.

O piloto, no entanto, repetiu que é um funcionário da Ferrari e que precisa pensar nos interesses da equipe, lembrando que cedeu a vitória no GP do Brasil para Kimi Raikkonen ser campeão mundial, em 2007, e foi ajudado pelo finlandês quando brigava pelo título, no ano seguinte.

– Já conversei com todo mundo na equipe, e sempre que estiver em condições de vencer vou brigar até o fim. Mas sou um profissional, trabalho para um time, e acredito que todos aqui entendem o que quero dizer.

 

R7

Notícias relacionadas

Campinense anuncia a demissão de Ederson Araújo

A derrota para o São Paulo Crystal por 2 a 1 no último domingo foi um golpe duro demais para o técnico do Campinense, Ederson Araújo, suportar. Na tarde desta…