Por pbagora.com.br

 Aos 46 minutos do segundo tempo, o Coritiba já acumulava 10 impedimentos. Se a linha defensiva do Corinthians funcionasse mais uma vez, o Timão muito provavelmente chegaria a seis jogos sem ser vazado e seguiria empatado em pontos com o líder Atlético-MG. Mas, de tanto insistir, o Coxa finalmente conseguiu furar o bloqueio alvinegro. O gol nos acréscimos deu um pouco de justiça ao que foi a partida e garantiu o empate em 1 a 1 no Couto Pereira.

Resultado que pouco muda na vida dos paranaenses, que ocupam a vice-lanterna, mas freia a empolgação alvinegra, que vinha de três vitórias seguidas. Invicto há sete partidas, o Corinthians segue no segundo lugar, mas vê o Galo abrir dois pontos de vantagem.

Até o duro golpe no fim da partida, a defesa paulista era praticamente impecável. E resolvia não só atrás como na frente. Foi do zagueiro Felipe o gol corintiano, aos 40 do primeiro tempo, e do companheiro dele, Edu Dracena, as outras duas melhores chances da equipe no duelo, em boas cabeçadas. Mesmo sem o titular Gil, suspenso, o posicionamento do setor funcionava. Quando a marcação vacilou, Cássio salvou ou o Coxa não soube aproveitar.

O Coritiba, vice-lanterna, não apresentava quase nada. Faltava velocidade e bom posicionamento à defesa e inteligência e categoria ao ataque. Mesmo tendo muito mais posse de bola, os donos da casa criaram poucas situações de gol. Foram muitos chuveirinhos (21 errados), passes sem direção (40) e apenas três finalizações no alvo, segundo o Footstats. A última delas de Evandro, após cruzamento de Raphael Lucas. A bola ainda tocou no travessão de Cássio antes de morrer no fundo das redes. Depois de 641 minutos, o Timão voltava a sofrer um gol.

 

Se a vitória não veio dessa vez ao Corinthians, muito se deve ao setor de criação. Não se pode culpar Vagner Love, que chegou a cinco rodadas sem balançar as redes. O camisa 9 foi pouco acionado e quase sempre recebeu bolas na fogueira. Muito por culpa do baixo nível de Elias e Jadson. O camisa 10 errou praticamente tudo que tentou, menos o escanteio que resultou no gol de Felipe.

 

Em vantagem, o Corinthians repetiu a estratégia de outras partidas, se retraiu e tentou explorar os contra-ataques. Ney Franco abriu o time, foi trocando homens de defesa por jogadores de ataque e, mesmo sem lá muita inspiração, o Coxa foi premiado com o gol no fim.

FICHA TÉCNICA

CORITIBA 1 x 1 CORINTHIANS

Data/Hora: 26/7/2015, às 16h

Local: Estádio Couto Pereira, em Curitiba (PR)

Árbitro: Pablo dos Santos Alves (PB)

Assistentes: Alessandro Rocha Matos (Fifa/BA) e Cleriston Clay Barrero (Fifa/SE)

Público/Renda: 17.255 pagantes/R$ 611.390,00

Cartões amarelos: Leandro Silva, Raphael Lucas e Evandro (CTB); Cássio, Felipe e Ralf (COR)

Gols: Felipe, aos 40/1ºT (0-1); Evandro, aos 46/2ºT (1-1)

 

CORITIBA: Wilson; Norberto, Luccas Claro, Leandro Silva (Evandro, no intervalo) e Juninho; João Paulo, Alan Santos (Negueba, aos 12/2ºT), Thiago Galhardo (Rodolfo, aos 34/1ºT) e Esquerdinha; Marcos Aurélio e Rafhael Lucas. Técnico: Ney Franco

 

CORINTHIANS: Cássio, Fagner, Felipe, Edu Dracena e Uendel; Bruno Henrique, Jadson, Elias, Renato Augusto (Ralf, aos 42/2ºT) e Malcom (Rildo, aos 30/2ºT); Vagner Love (Danilo, aos 41/2ºT). Técnico: Tite


lancenet