Por pbagora.com.br

Se César Cielo ainda não era, por unanimidade, o nadador mais rápido do planeta, neste sábado ele convenceu os últimos que duvidavam do fato. Dois dias depois de assustar o planeta com o recorde mundial e a medalha de ouro dos 100m livre, César repetiu a dose. Com o recorde do campeonato (21s08), ele foi ouro nos 50m livre, a mesma prova que conquistou nas Olimpíadas de Pequim.

De quebra, se igualou a uma lenda do esporte. O russo Alexander Popov, recordista mundial dos 50m livre por oito anos e dos 100m por seis, é o único, além de Cielo, que seguiu um ouro olímpico por um ouro no Mundial.

Popov foi campeão na Olimpíada de Barcelona, em 1992, e repetiu o feito no Mundial de Roma, em 1994, mesma competição em que o Brasil havia conquistado suas duas últimas medalhas. Cielo diz que ainda não se deu conta de seu feito nas piscinas de Roma.

"Fazer essa dobradinha no Mundial é o sonho de qualquer velocista. É sempre importante ter o pensamento positivo para bater na frente, mesmo que a confiança seja algo um pouco perigoso. Isso vai ficar na minha história e quero aproveitar esse momento, apesar de ainda não ter me dado conta do tamanho de tudo isso", disse o atleta após conquista o ouro.

O paulista, aliás, foi o grande responsável pelo grande resultado do Brasil na piscina do Foro Itálico. Com sua medalha de ouro nos 100m, ele já tinha levado o país a superar o desempenho de 15 anos atrás.

Esse total, porém, tinha uma medalha de maratonas aquáticas (bronze de Poliana Okimoto nos 5km), que não era disputada na época. A medalha desta tarde supera o desempenho também na piscina.

Em Roma-1994, foram dois pódios, ambos com Gustavo Borges. No primeiro, Borges era favorito nos 200m livre, mas acabou sendo bronze nos 100m. No segundo, ele liderou o revezamento 4x100m livre, que tinha ainda Teófilo Ferreira, André Teixeira e Fernando Scherer.

Em Roma-2009, o Brasil foi ao pódio duas vezes com Cielo e uma vez com Felipe França – além de Poliana. O paulista chegou como o recordista mundial dos 50m peito e acabou com a prata, perdendo a prova e a marca para o sul-africano Cameron van der Burgh.

Cielo, porém, ainda tem mais um desafio na piscina do Foro Itálico. No domingo, dia do encerramento da competição, ele disputa o revezamento 4x100m medley. Com finalistas em três dos quatro estilos, o Brasil apostas fichas na prova.

 

 

UOL