Por pbagora.com.br

 Na partida de abertura do mata a mata da Série D do Brasileiro, o Campinense perdeu  por 1 x0 para o Operário (PA), mas decide a classificação em casa com om total apoio de sua torcida. O duelo foi disputado neste domingo, no Estádio Germano Kruger, em Ponta Grossa,

O resultado obriga a Raposa a vencer o jogo de volta no próximo domingo (04) no estádio O Amigão em Campina Grande por dois gols de diferença. Caso a Raposa vença pel.o mesmo placar a vaga será decidida nos pênaltis. 
Jogando em casa, o Operário dominou todo o primeiro tempo. O time paranaense, comandado pelo meia Doda, ex Botafogo (PB), criou pelo menos 12 oportunidades de gols, obrigando o goleiro Glédson a fazer grandes defesas.

O Campinense não conseguia envolver o Operário e adotou uma postura defensiva. O técnico Francisco Diá armou um time com três volantes. Com o isso, o setor de meio de campo não criou nenhuma jogada no primeiro tempo.O goleiro Paulo Sérgio praticaemente não tocou na bola. 
De tanto tentar o Operário conseguiu abrir o placar aos 43 minutos. Em uma cobrança de escanteio de Juninho, a zaga falhou e o zagueiro Peixoto de cabeça abriu o placar para o Operário. 1 x 0. 

 

Segundo tempo
No segundo tempo o Campinense voltou com uma postura mais ofensiva, enquanto que o Operário passou a explorar os contra ataques.Artilheiro do time na primeira fase, o atacante Rodrigão reapareceu no time, após se recuperar de uma contusão,  no lugar do meia David.  Com uma postura bem mais agressiva, o Rubro-negro partiu para cima em busca do gol de empate. 

 

Aos 12 minutos, o zagueiro Tiago Sala roubou bola no meio de campo e armou um ataque perigoso. A zaga tocou a bola para escanteio. Na cobrança de Valdeir, Tiago Sala de cabeça quase empata. O Rubro negro seguiu pressionando, e chegou a perder várias oportunidades com Túlio Renan. O atacante Rodrigão, ainda fora de forma, não conseguia se movimentar bem.

O técnico do Operário promoveu a entrada do atacante Joélson no lugar de Gilvan.  Nata, ex Botafogo (PB), também entrou no lugar de Pedrinho. O time paraense era perigoso nos contra-ataques, e aos 22 minutos quase amplia o placar.  O técnico Francico Diá também promoveu mudanças. Éder entrou no lugar de Valdeir.

 
Aos 44 minutos o Campinense quase empata a partida. O meia Felipe Ramon cobrou falta, e Joécio sozinho subiu e quase empatava a partida de cabeça. A bola passou tirando “tinta” na trave do goleiro do Operário. Nos instantes finais, os dois times reduziram o ritmo, e passaram a tocar a bola gastando o tempo, e esperando o apito final do árbitro. 

 Ao término da partida, o técnico Francisco Diá elogiou a postura dos jogadores, e disse que nada está decidido. Ele já convocou a torcida para invadir o Amigão no próximo domingo, e empurrar a Raposa a conquistar a classificação e manter o sonho do acesso a Série C.

Para a partida de volta, o técnico Francisco Diá não poderá contar com os meias Magno e Ronael tomaram o terceiro cartão amarelo de desfalcam o time no jogo de volta.

 

Severino Lopes
 

PBAgora