Por pbagora.com.br

A seleção masculina de vôlei venceu a Rússia por 3 a 1 na noite deste domingo, em Córdoba, na Argentina e conquistou pela nona vez a Liga Mundial. O Brasil chegou às finais após vencer Cuba por 3 a 1 no sábado (24), e sabia que tinha um grande desafio pela frente. Para isso, mesmo sem Leandro Vissoto – que saiu machucado na partida semifinal -, contou com força máxima no ataque e a experiência de Dante, um dos destaques da partida.

Num jogo equilibrado, o Brasil venceu o primeiro set por 25 a 22 em 30min, explorando o bloqueio russo e abusando das largadas na quadra adversária. Apesar do placar apertado, a seleção esteve sempre à frente e cedeu à pressão e reclamação de alguns atacantes russos, que reclamaram muito da marcação do juiz em algumas bolas. A torcida brasileira, que ocupou uma pequena parte da arquibancada, fez barulho para ajudar a levantar o time, que parecia ainda tímido frente aos potentes ataques de meio de quadra da equipe européia.

No segundo set, com o placar ainda apertado, o Brasil levou uma pequena vantagem sobre os russos, com as boas defesas do líbero Mário e as subidas de Lucão à rede. Bruno também entrou ao final, para tentar um precioso ponto de saque. Mas num erro da seleção russa, a seleção fechou os 2 a 0, em 26min.

Um pouco mais tranquilo, o time brasileiro deixou escapar o terceiro set por 25 a 16. Giba entrou para reforçar a rede, mas foi bloqueado logo em sua primeira tentativa. A Rússia colecionou bloqueios – chegou a oito, ao longo do set, contra apenas um brasileiro. A etapa foi encerrada com um saque para fora da quadra da equipe brasileira, em apenas 15min.

O quarto set começou nervoso, com uma leve vantagem para a equipe russa. O Brasil se recuperou num ataque de Dante, mas a Rússia fechou o primeiro tempo técnico, com 8 a 6. A seleção passou a cometer erros infantis e novamente permitiu que a Rússia abrisse dois pontos de vantagem, variando as jogadas e superando o bloqueio do time de Bernardinho.

Com ataques potentes e forçando o saque, Brasil e Rússia disputaram, ponto a ponto, o final do quarto set. Mas Dante fez toda a diferença, com bolas certeiras na quadra russa e bloqueios fundamentais, como o do 24º ponto brasileiro.
 

 

R7