Por pbagora.com.br

O Fluminense apresentou nesta segunda-feira, em um hotel da Zona Sul do Rio de Janeiro, mais um reforço para a temporada 2010. Belletti, de 34 anos, chega ao clube para atuar como lateral-direito ou volante.

O jogador passou oito anos na Europa e fez parte da seleção brasileira pentacampeã mundial em 2002. Como veio do Chelsea, da Inglaterra, ele só poderá atuar a partir de agosto, por causa da janela de transferências.

Feliz em poder vestir a camisa do novo clube, Belletti elogiou o técnico Muricy Ramalho e o projeto do Tricolor para 2010.

– A paixão da minha vida é jogar futebol. E o Fluminense está me proporcionando isso nesta minha volta ao Brasil. Eu agradecia a eles pelo Twitter e volto a agradecer essa oportunidade. Eu quero fazer do Fluminense uma equipe campeã. Já temos um treinador que foi campeão muitas vezes, o clube tem um projeto muito bom, mas tem que ganhar títulos para dizer que o projeto deu certo. E comigo eles podem contar porque eu vou suar sangue – disse.

Belletti reconhece que não tem o talento de craques como Rivaldo e Ronaldinho Gaúcho, mas sua determinação dentro de campo supera esta ‘deficiência’:

– Sou guerreiro desde os seis anos de idade. Meus pais me chamam assim. Não tenho o talento de um Ronaldo, um Rivaldo e Ronaldinho Gaúcho (também campeões do mundo em 2002), mas nenhum desses tem a vontade de ser vencedor maior do que a minha. Já fui campeão da Champions, do Campeonato Inglês, mas isso não tira em nada a minha vontade de continuar ganhando. Quero ser campeão mais vezes – ressaltou.

O lateral, que nos últimos jogos pelo Chelsea vinha atuando no meio de campo, imagina como será a experiência de morar no Rio de Janeiro pela primeira vez:

– Sou do interior do Paraná, nunca pensei morar aqui no Rio, mas já passei por Minas, São Paulo, Londres, é algo que o futebol te proporciona. Vou poder viver o Brasil, a praia, o sol. Sou um cara tranquilo, minha diversão vai ser passear com a família, ia aos parques, ao circo.

Sujeito boa praça, Belletti revelou a brincadeira que o atacante Didier Drogba, seu companheiro no clube londrino, fez quando soube do seu adeus:

– Quando fechei, conversei com o Drogba para falar que estava indo embora e ele brincou: “Vê se não arruma uma vaguinha pra mim no Rio, sou doido para jogar lá – concluiu.

 

Globo.com

Notícias relacionadas

Campinense anuncia a demissão de Ederson Araújo

A derrota para o São Paulo Crystal por 2 a 1 no último domingo foi um golpe duro demais para o técnico do Campinense, Ederson Araújo, suportar. Na tarde desta…