Por pbagora.com.br

A lama, os buracos e os passes errados sugeriam um empate gélido entre Atlético-PR e Fluminense. Mas uma cobrança precisa de Paulo Baier garantiu a vitória dos curitibanos por 1 a 0 na tarde deste domingo, no estádio do Café, em Londrina. O jogo foi válido pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro. No fim, a trave e Galatto brilharam e impediram o empate do Tricolor.

O resultado põe fim a uma sequência de cinco jogos sem vitória do Rubro-Negro e tranquiliza a chegada de Antônio Lopes, que assume nesta segunda. Apesar da vitória, o time permanece na zona de rebaixamento, em 17º lugar, com 15 pontos.

Pior, bem pior, é a situação do Fluminense. Há 11 jogos sem conseguir triunfar, o time caiu para a lanterna, com 11 pontos. O técnico Renato Gaúcho tem o retrospecto de um empate e três derrotas desde que assumiu.

 

O Atlético-PR teve de mandar a partida no interior do Paraná porque o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) o puniu devido a uma briga de torcidas no Atletiba do último dia 19, na Arena da Baixada.

 

Na próxima rodada, o Furacão visita o Cruzeiro, quarta-feira, no Mineirão. No dia seguinte, o Fluminense recebe o Sport, no Maracanã.

 

Precisão de Baier deixa o Furacão à frente

Um dia depois de ser anunciado como técnico do Atlético-PR, Antônio Lopes foi ao estádio do Café apenas como observador. E pôde ver um time carente de técnica, mas bem disposto. O excesso de vontade garantiu cartões, chutes para o alto, mas pouca produção ofensiva.

O primeiro chute saiu apenas aos 21 minutos. Raul entrou pela direita e bateu cruzado. Fernando Henrique espalmou. No minuto seguinte, o goleiro recebeu uma joelhada involuntária de Marcinho na cabeça, foi atendido pelo médico tricolor e voltou ao jogo.

Tímido em campo, o Fluminense incomodou aos 26. O estreante Roni passou para Kieza, que foi travado pela zaga e perdeu a oportunidade.

Enlameados e driblando contra os buracos do gramado, os jogadores produziram uma chuva de passes errados. Em um dos raros momentos de perigo, Raul cruzou aos 38, Rodolpho chutou meio sem jeito e Fernando Henrique espalmou.

No lance seguinte, aos 41, Paulo Baier cobrou falta com perfeição no ângulo direito e abriu o placar.

 

Trave e Galatto garantem a vitória

O Fluminense voltou mais ligado e com duas modificações. Sentindo tonturas, Fernando Henrique deu lugar a Rafael, enquanto Maurício entrou na vaga de Dalton. Roni tabelou com Conca e arriscou de longe e sem direção, aos seis.

Os erros da primeira etapa não cessaram. E só em jogadas esporádicas os times levaram perigo. Aos 15, Raul avançou do meio-campo, finalizou de longe e Rafael mandou para escanteio.

O Atlético-PR dominou o jogo, mas não criou. Por sua vez, o Fluminense esboçou uma pressão final e só não empatou porque a trave e Galatto impediram. Primeiro, aos 45, Roni cabeceou na trave. Logo depois, Edcarlos cabeceou à queima-roupa e o goleiro do Furacão fez linda defesa.

globoesporte.com