Por pbagora.com.br

Envolvido em mais uma polêmica, agora em Portugal, o atacante Ciel garante que o álcool não vai atrapalhar sua passagem pelo Paços de Ferreira. Pai há menos de um mês, o ex-jogador do Fluminense reconheceu ao GLOBOESPORTE.COM nesta sexta-feira que a bebida prejudicou sua carreira, mas que está concentrado em dar a volta por cima no Campeonato Português.

Dispensado pelo Tricolor neste ano, Ciel assinou com o Paços de Ferreira por duas temporadas. Segundo a imprensa portuguesa, seu contrato tem uma cláusula para rescisão caso o atacante se envolva em problemas com bebida alcoólica. Os jornais “A Bola”, “O Jogo” e “Record” noticiaram que o brasileiro deixou um treino da equipe durante a semana por ter passado mal após ter bebido. Ciel nega as acusações e se diz vítima de perseguição dos jornalistas, tanto portugueses como brasileiros.

– O treino foi na segunda de manhã e quem jogou no domingo só trabalhava 15 minutos. Corri no campo, cobrei até umas faltas e fui embora. Na terça, eu treinei normalmente, o tempo todo. Não teve nada de passar mal. Falaram que eu cheguei bêbado, que eu não podia nem andar… Isso é mentira. Isso seria falta de profissionalismo, nunca fiz isso. Já cheguei de ressaca em treino, isso já aconteceu, mas chegar bêbado não. A imprensa gosta de mim, eles estão sempre atrás de mim. Até fora do Brasil! Procurei os jornalistas aqui no clube para saber de onde saiu essa história, mas não encontrei nenhum – afirmou o jogador, por telefone, acrescentando ainda que não viu a tal cláusula no seu contrato:

– Eu li a minha cópia e não tem nada disso.

Aos 27 anos, Ciel teve sua grande chance no Fluminense ano passado. Mas chegou ao Rio com histórico de confusões no Ceará, no qual chegou a ser multado em 40% do salário por problema com bebida. O atacante reconhece que abusou no início da carreira e promete uma nova vida.

– Isso aconteceu quando eu era novo. Quando virei profissional, com 17 anos, comecei a beber. Ia bem no Santa Cruz, fazia gols, me empolguei e isso aconteceu. Mas quero sair disso. Vejo muita gente se afastando de mim por causa disso – disse.

Na próxima quinta, Ciel comemora o primeiro aniversário da filha Sara Yasmin, que mora em Fortaleza com a esposa do jogador, Rutilene. As notícias vindas de Portugal assustaram a família do atacante.

– Minha mulher me ligou desesperada! – contou.

Não foi a primeira vez que Rutilene se assustou ao ler os jornais. Em abril, depois de sair do Fluminense, Ciel foi dispensado do América-RN por ter se envolvido em uma confusão com uma mulher em Natal, que segundo a polícia era garota de programa. O jogador também nega.

– Não me envolvi com prostituta. Eu estava bebendo sozinho no quiosque, na praia, e essa mulher começou a discutir comigo, maior barulho. Na delegacia, o policial me disse para eu ficar tranquilo porque ela sempre fazia aquilo. Logo depois a imprensa publicou que ela era garota de programa. Eu estava com minha esposa lá. Imagina a família dela lendo que eu bati em prostituta?

Após a polêmica no treino do Paços de Ferreira, Ciel não foi relacionado para a partida com o Bnei Yehuda, pela Liga da Europa, quinta. O presidente do clube, Fernando Sequeira, disse ainda que o brasileiro terá uma “segunda chance”. O atacante promete não desperdiçá-la.

– Estou arrependido para caramba. Acho que o técnico (Paulo Sérgio) ficou chateado por eu ter saído do treino cedo, houve um mal-entendido. Mas todos no clube me disseram que está tudo bem. O Cássio, goleiro, é evangélico e está me ajudando. Converso muito com ele. Espero não ter mais essas polêmicas. Quero ser lembrado por ser um bom jogador.

globoesporte.com