Por pbagora.com.br

Em entrevista a imprensa a reitora da Universidade Federal da Paraíba Margareth Diniz, falou de queda de recursos e principalmente das ações da UFPB em meio a esta pandemia do novo coronavírus. Ela defende, investimentos na ciência e na saúde como investimentos concretos que podem chegar à cura dessa doença que parou o mundo.

Sobre os investimentos da UFPB no combate ao Covid-19, ela disse: “Constituímos uma comissão de enfrentamento ao coronavírus, presidida pelo diretor do Centro de Ciências Médicas, a fim de viabilizar ações e dar suporte para as discussões e decisões da gestão. Dia 16 de março fizemos uma reunião do Conselho Técnico Administrativo da UFPB e decidimos suspender as atividades presencias para o ensino de graduação, a partir de 17 de março, concluindo o período letivo 2019.2 de forma remota. Os cursos EAD estão funcionando normalmente e suspensão das atividades EBTT. Concomitante, várias ações voluntárias, envolvendo professores, servidores técnicos administrativos e estudantes foram iniciadas, próprias da natureza da universidade (pesquisa, extensão, inovação tecnológica e outras), agora, direcionadas ao combate da Covid-19, conforme no relatório de ações. Passado o momento crítico da pandemia, a UFPB vai emitir certificado de agradecimento pelo trabalho solidário, para todos os envolvidos, inclusive, doadores, parceiros que nos ajudaram a viabilizar as ações” disse a reitora.

Recentemente, um respirador desenvolvido por professores e alunos da UFPB chamou a atenção da grande imprensa nacional. Além disto, outras ações também estão sendo feitas, questionada sobre, Margareth respondeu: “É da essência das universidades públicas realizarem atividades de ensino, pesquisa, extensão, inovação tecnológica e de internacionalização em alto patamar de qualidade. Não seria diferente, na situação que estamos vivenciando, de pandemia pelo coronavírus, em que muitas ações, pela expertise dos que compõem nossa comunidade universitária, direcionaram esforços para contribuir efetivamente para mitigar esta situação. Entre tantas iniciativas, a criação de um respirador efetivo e de baixo custo”, finalizou.

 

Redação

 

Deixe seu Comentário